Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/05/18 às 15h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

Saúde prioriza casos de urgência e emergências nos hospitais até segunda (28)

Samu mantém a prestação do serviço nas ocorrências graves de emergência – Foto: Matheus Oliveira

 

A continuidade da paralisação dos caminhoneiros forçou a Secretaria de Saúde a tomar medidas para garantir o estoque de medicamentos, materiais médico-hospitalares e insumos da rede pública neste fim de semana.

 

De sábado (26) a segunda-feira (28), serão priorizados casos de urgência e emergências nos hospitais de todo o Distrito Federal.

 

As unidades básicas de saúde (UBS) ficarão fechadas, e as consultas ambulatoriais em hospitais e policlínicas serão suspensas.

 

A suspensão também vale para cirurgias e procedimentos agendados para esses dias. A remarcação será feita na primeira oportunidade. Não há prejuízo para cirurgias de urgência.

 

A Saúde determinou também que o transporte de pacientes para exames seja feito apenas em casos de urgência. Além disso, veículos para serviços administrativos não deverão rodar até segunda-feira (28).

 

Os servidores das referidas áreas serão realocados para os atendimentos de urgência e emergência e demais serviços ininterruptos. Para isso, os superintendentes das Regiões de Saúde devem adaptar serviço e mão de obra, a fim de que garantir o melhor atendimento possível à população.

 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), por sua vez, mantém a prestação do serviço nas ocorrências graves de emergência. Se encontrar dificuldade nos serviços hospitalares, deve dar início ao protocolo de crise.

 

A secretaria alerta ainda que qualquer servidor poderá ser convocado a atuar, independentemente do serviço, se o cenário se mantiver.

 

A determinação foi acordada entre o secretário de Saúde, Humberto Fonseca; secretários-adjuntos de Saúde; a subsecretária de Infraestrutura, Liliane Menegotto; os superintendentes das Regiões de Saúde; o diretor-geral do Complexo Regulador, Sandro Rodrigues; e o diretor do Samu, Rafael Vinhal.

 

TEXTO: Da Agência Brasília