Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/01/12 às 18h50 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Saúde realizou 663 obras na rede pública em 2012

COMPARTILHAR

A Subsecretaria de Logística e Infraestrutura da Secretaria de Saúde do Distrito Federal – SULIS/SES/DF – executou até outubro do ano passado 663 obras na rede pública. Os serviços incluíram reformas e manutenção nas instalações da SES/DF abrangendo 67 centros de saúde, 30 postos de saúde e 15 hospitais, além de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), unidades mistas, Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS), Instituto de Saúde Mental e Policlínica.

Metade da área do Hospital Regional da Ceilândia passou por reparos, reformas e serviços de manutenção no ano passado. A U.T.I adulto foi ampliada, o auditório administrativo foi reformado e a patologia clínica foi reconstruída. Foi feita manutenção geral, pintura e recuperação do piso na ala administrativa, Núcleos de Nutrição e Infecção Hospitalar, ambulatório patológico, alas de internação das clínicas médica e cirúrgica, centro cirúrgico, U.T.I neonatal e corredores da emergência. Para este ano, está prevista a conclusão de serviços no núcleo de assistência social e na ouvidoria.

Na lista de obras concluídas ano passado no HRC constam ainda a ampliação da anatomia patológica, reparos e manutenção no núcleo de inspeção e no ambulatório, pintura e recuperação da sala de Raio-X, reparos nos banheiros do pronto socorro, manutenção no sistema de esgoto do hospital. Estão em andamento a reforma geral dos bancos de leite e de sangue, reparos na maternidade, centro obstétrico, pronto socorro da ginecologia e lavanderia e a construção da subestação de energia elétrica está em fase de licitação.

Além do hospital regional, centros de saúde também foram reformados na Ceilândia. O centro de saúde número 06, na EQNP 10/14, no Setor P Sul, foi entregue em dezembro após seis meses de obras para recuperação geral da unidade. Foram reformados também os centros de saúde 02, na Ceilândia Norte e 07, no Setor O. Na Ceilândia Sul, obras estão em andamento no centro de saúde 03 e nos próximos dias serão iniciadas nos centros de saúde 10 e 09, com previsão de término em seis meses.

Até o fim do primeiro semestre toda rede de saúde de Ceilândia terá passado por obras, incluindo os 11 centros de saúde, dois postos e o Hospital Regional. Os centros de saúde 4 (QNN), 5 (QNM) e 8 (P Norte) passarão por reforma geral no primeiro semestre. Já os centros 11 (Expansão) e 12 (QNQ) que são mais novos, passarão por manutenção geral incluindo pintura, reparos no telhado, calhas e pisto.

O projeto de reforma é o mesmo para todos os centros de saúde, exigindo apenas ajustes específicos em cada unidade. São destinados de R$ 900 a R$ 950 mil para reformas, enquanto a verba para manutenção varia de R$ 150 a R$ 200 mil.

663 obras na rede pública

O levantamento da SULIS/DF indica que o custo do metro quadrado das obras executadas pela Secretaria de Saúde em 2011 foi de R$ 807,25, inferior ao Custo Unitário Básico -CUB/m² e ao SINAPI – Sistema Nacional de Preços e Índices para a Construção Civil.

O CUB/m², calculado e divulgado mensalmente pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil – Sinduscon-DF, foi estimado em R$ 877,79. O CUB acompanha a evolução dos preços de 25 materiais de construção, salários de pedreiros, serventes e engenheiros e um equipamento (aluguel de betoneira). Já o SINAPI da Caixa Econômica Federal (CEF) que acompanha preços de materiais e salários pagos na construção civil, ficou em R$ 830,30.

Os custos com manutenção predial na rede da SES/DF também atingiram índices inferiores aos de referência, apesar das condições das edificações, já que há hospitais, centros e postos de saúde até com mais de 40 anos. No total foram executados 93% do orçamento previsto para obras e manutenção na Saúde em 2011.

Obras de 2011 – Entre as obras executadas no ano passado destaca-se a reforma completa do pronto-socorro do Hospital Regional de Planaltina, que foi totalmente recuperado e ampliado durante quatro meses. Ainda em Planaltina pacientes foram beneficiados com a transferência do Centro de Saúde nº 03, que funcionava em uma igreja, para novas instalações no Setor Tradicional, após pintura, troca de piso e manutenção geral.

Em Sobradinho, foi iniciada a construção do Bloco Materno Infantil do Hospital Regional, que será concluída este ano. A unidade tem área de 2.951,75 metros quadrados, distribuídos em dois pavimentos. Na parte térrea o Bloco Materno Infantil terá capacidade para dez leitos de berçário de alto risco, oito leitos para prematuros, 11 de médio risco, dez de observação e repouso, quatro de recuperação e três de reanimação. No primeiro andar serão duas alas de enfermarias com 60 leitos. O Bloco Materno Infantil é a primeira grande obra realizada no HRS, desde a construção do hospital há 42 anos. As obras começaram em setembro de 2009.

No HRS foram feitas obras para instalação do primeiro tomógrafo da regional, que começou a funcionar em março. Além disso, foi construída uma nova subestação de energia no HRS, substituindo o antigo sistema com mais de 40 anos de funcionamento, que não suportava mais a capacidade dos equipamentos.

Gama – O novo pronto-socorro infantil do Hospital Regional do Gama também foi entregue em 2011. A obra, que custou R$ 1 milhão 100 mil, proporcionou a humanização do atendimento e mais qualidade nos serviços oferecidos pelos setores de urgência e emergência.

O Pronto Atendimento Infantil foi readequado seguindo as normas da Política Nacional de Humanização e conta com salas de acolhimento, registro, classificação de risco, três consultórios, quinze leitos divididos em área crítica, semi-crítica e de observação, duas salas de isolamento, sala de nebulização, de reidratação e banheiro. Também foi instalada sinalização para portadores de necessidades especiais.

Celi Gomes – SES/DF