Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/09/15 às 19h06 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Secretaria de Saúde capacita executores de contrato

COMPARTILHAR

Objetivo é dar agilidade aos processos e evitar problemas com os órgãos fiscalizadores

BRASÍLIA (23/9/15) – Aproximadamente 900 executores de contratos da Secretaria de Saúde, entre titulares e suplentes, realizam o curso de Gestão e fiscalização de contratos na Escola de Governo, até sexta-feira (25). A iniciativa visa orientar os servidores para executar processos, entre eles, licitações, de forma mais rápida e correta, evitando morosidade e erros nos trâmites.

São 10 turmas, sendo duas com servidores da Administração Central, sete para quem trabalha nas regionais de saúde e um para quem atua nos hospitais e no Instituto de Saúde Mental. Com carga horária de 20 horas, o curso dura cinco dias.

“Estamos fazendo um treinamento intensivo para reduzir os problemas que estavam surgindo, principalmente, com relação ao entendimento das leis voltadas para a contração”, destacou a gerente de Educação e Saúde, Cláudia Gemaque.

Segundo ela, além de orientar para um trabalho célere, o treinamento evitará problemas que poderiam surgir com órgãos fiscalizadores por possíveis erros de entendimento na legislação.

“A ideia é padronizar os processos e nivelar o entendimento da legislação para aplicar no serviço e dar agilidade na tramitação desses processos de contratos”, complementou a gerente.

Entre as leis que foram apresentadas para os participantes estão a 8.666, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública. Também foi apresentada cartilha elaborada pelo governo de Brasília para os executores de contratos.

Para o subsecretário de Administração Geral (Suag), Marcello Nóbrega, que solicitou a promoção do curso e está à frente da área que tem maior envolvimento com a celebração de contratos, a capacitação é essencial, inclusive para dar celeridade a processos importantes que envolvem o abastecimento de toda a rede.

“Constatamos que muitos servidores não estavam treinados adequadamente para executar os processos e nós estamos mudando a forma de trabalho, para agilizar as compras e reduzir a morosidade que tínhamos para licitar”, finalizou.

Leia também...