Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
3/12/21 às 14h19 - Atualizado em 6/12/21 às 15h00

Secretaria de Saúde dá posse a 966 novos agentes e lança campanha de enfrentamento do mosquito da dengue

Novos agentes já iniciaram visitas às residências no DF. Equipes de Saúde da Família também receberam reforço

 

HUMBERTO LEITE | EDIÇÃO: MARISTELLA DE LUCA| DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

A população do Distrito Federal já pode perceber o aumento das visitas domiciliares de equipes da Secretaria de Saúde. Em cerimônia realizada nesta sexta-feira (3), no Auditório Pedro Calmon, tomaram posse 466 novos Agentes Comunitários de Saúde e 500 Agentes de Vigilância Ambiental. Esses profissionais passaram por treinamento e começaram as ações de visitação às residências em todas regiões administrativas do DF. Com o período chuvoso, um dos principais focos de atenção é o combate ao Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue.

Marizete e Carlos Antônio foram empossados nesta sexta-feira. Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

“Nosso trabalho é muito importante por conta dos muitos focos do mosquito que estamos encontrando”, disse Carlos Antônio da Silva, agente de vigilância ambiental empossado hoje. Ele lembrou que, durante o treinamento, realizado em Samambaia, viu muitas residências em que faltavam os cuidados básicos de combate ao Aedes aegypti, principalmente onde havia acúmulo de lixo. Já Marizete Soares, quem também integra a nova turma, ressaltou a necessidade de a população colaborar com os agentes. “Essa vigilância evita que as pessoas vão parar em um hospital”, completou.

 

Presente na cerimônia, o governador Ibaneis Rocha ressaltou o esforço da Secretaria de Saúde para combater a dengue. “A nossa ideia é exatamente trazer, para índices de normalidade, índices internacionais, que é o que merece a população do Distrito Federal”, afirmou. Em 2021, o DF já registrou 13.382 casos confirmados de dengue, uma redução de 70% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, atribuiu a queda do número de casos de dengue às atividades da Secretaria de Saúde, com novas metodologias, mapeamento de territórios e integração de atividades, mas alertou para a necessidade de manter os cuidados.


966 agentes tomaram posse. Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

“O conjunto dessas ações ajudou bastante na redução dos números do problema. Mas isso não quer dizer que nós estejamos livres”, lembrou. Segundo ele, cada família deve se engajar para evitar a criação de focos do Aedes aegypti dentro de casa. “A solução depende de todos nós: governo e sociedade”.

 

Reforço na Atenção Primária

 

Além de reforçar o combate ao mosquito da dengue, a contratação dos agentes permitirá o reforço das equipes da Estratégia Saúde da Família. “Vamos adentrar mais ao território, fazer mais cadastramentos, cuidar mais das pessoas dentro das suas casas”, explicou o secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache.

Ibaneis estava presente na posse de todos agentes. Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Segundo o gestor, as 605 equipes que atuam no Distrito Federal aproximam a população dos serviços de saúde, ajudam no cadastro de famílias, realizam busca ativa e auxiliam até nas campanhas de vacinação, com um trabalho de conscientização. Na prática, as equipes compostas por médico, enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem e agente comunitário são capazes de solucionar mais de 80% das demandas dos serviços de saúde pública.

 

“Queremos não só colocar os equipamentos à disposição da sociedade, como também sensibilizar as pessoas para que utilizem inicialmente a Atenção Primária”, afirmou Pafiadache.

 

O secretário-adjunto de Assistência, Fernando Erick Damasceno, lembrou que, nos últimos três anos, o DF foi a unidade da Federação que mais credenciou equipes para atuar na Estratégia Saúde da Família. “É um trabalho de vínculo com a comunidade, é um trabalho de ingresso em territórios. Isso tem impacto no cadastro, tem impacto na dengue, tem impacto na própria situação de enfrentamento da  covid”, explicou.