Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/08/15 às 21h02 - Atualizado em 30/10/18 às 15h12

Secretaria faz apresentação prévia do Plano Distrital de Saúde

COMPARTILHAR

Documento exibido no Conselho de Saúde norteia as políticas para 2016/2019

BRASÍLIA (18/8/15) – A versão parcial do Plano Distrital de Saúde do Distrito Federal – que contém eixos, diretrizes e objetivos e indicadores para o desenvolvimento de ações e políticas públicas na área de saúde – foi apresentada aos membros do Conselho de Saúde (CSDF), nesta terça-feira (18), por uma equipe técnica da Secretaria de Saúde, acompanhada pelo chefe da pasta, Fábio Gondim.

“Neste plano, temos que definir metas que de fato podem ser cumpridas. Nem tão modestas que sejam fáceis de atingir, nem tão ousadas que não consigam ser alcançadas”, avaliou Gondim.

Elaborado para valer pelos próximos quatro anos, o documento norteia o conteúdo de outros planos essenciais. Entre eles está o Plano Plurianual (PPA), que é um retrato do Plano Distritral do ponto de vista orçamentário e está em fase final de conclusão, dependendo apenas das informações da Secretaria de Fazendo sobre o teto financeiro autorizado para o período.

Outro documento que contém parte das diretrizes elencadas no Plano Distrital de Saúde é o Relatório Final da 9ª Conferência de Saúde do DF, realizado nos dias 20 e 21 de julho, que incorpora as principais solicitações dos segmentos gestor, trabalhador e usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). As Diretrizes Nacionais do Ministério da Saúde com relação ao Plano Nacional de Saúde também estão associadas.

“O plano é muito extenso e possui uma análise situacional, em que são relatadas todas as condições e aspectos do Distrito Federal e Entorno sobre questões geográficas, econômicas, epidemiológicas. Para conclui-los, temos que debater as metas e indicadores que farão parte do texto”, destacou a diretora de Programação e Planejamento em Saúde, Christiane Braga.

Segundo ela, também constam no documento as proposições para os eixos debatidos, entre eles, modelo de gestão, modelo de atenção e infraestrutura e logística, que vêm elencados em conjunto a um desdobramento entre metas e indicadores.
“Será incorporado ao plano o Mapa de Saúde, que possui as sete macrorregiões, e alguns projetos de contratualização, e o que competirá a cada região dentro do plano”, complementou a diretora.