Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
18/09/15 às 11h09 - Atualizado em 30/10/18 às 15h13

Secretaria oferece exames que podem evitar câncer colorretal

COMPARTILHAR

Teste de sangue oculto e colonoscopia ajudam a detectar lesões em 54 moradores do Gama

BRASÍLIA (18/9/15) – Cerca de 15 mil pessoas morrem por ano no Brasil em razão do câncer colorretal. Somente no Distrito Federal, o número chega a 200 anualmente e todas elas poderiam ter sido evitadas se o problema tivesse sido detectado precocemente, por meio de dois exames bem simples: o teste de sangue oculto nas fezes e a colonoscopia.

Para tentar reduzir o número de mortes e também de tratamentos com quimioterapia e radioterapia, a Secretaria de Saúde lançou, neste ano, o Programa de Prevenção do Câncer Colorretal. O projeto foi iniciado no Gama, onde 5 mil pessoas com idade entre 50 e 75 anos receberam o kit para fazer o exame de sangue oculto nas fezes.

“Conseguimos diagnosticar quatro pessoas com câncer e que já tiveram seus tumores completamente retirados e não precisarão fazer quimio ou radioterapia”, comemora a coordenadora do projeto, Cristina Scandiuzzi. Ela diz, ainda, que outras 50 pessoas foram diagnosticadas com lesões que antecedem o tumor. “Elas também tiveram as lesões retiradas, acabando, assim, com o fator de risco para câncer”, completa.

Porém, nem todo mundo que recebeu o kit para o teste retornou ao centro de saúde com a amostra para análise no laboratório. “Dos cinco mil distribuídos, apenas 1,8 mil foram devolvidos”, lamenta Scandiuzzi. Além disso, muitos dos pacientes que têm o resultado positivo para o teste e precisam fazer a colonoscopia, não comparecem.

“É importante fazer este exame porque é ele que vai mostrar se há lesões que antecedem o câncer”, frisa a médica. Para os que precisam passar pela colonoscopia dentro do programa de prevenção, a marcação é rápida, pois não precisa passar pela regulação.

PROJETO – A Secretaria de Saúde recebeu do governo japonês, por meio de uma cooperação internacional, os testes de sangue oculto das fezes e um equipamento de última geração para exame de colonoscopia, instalado no Hospital de Base, capaz de retirar tumores no mesmo momento em que realiza o exame.

Inicialmente foram entregues 5 mil kits, distribuídos no Gama. Outros 5 mil estão prestes a chegar e também serão entregues a moradores desta regional, onde 24 mil pessoas estão na faixa etária do público-alvo.

O exame de sangue oculto é feito em casa. Equipes de Saúde da Família ou agentes de saúde ensinam ao paciente como deve ser o procedimento. O teste deve ser entregue no centro de saúde em até cinco dias após a coleta.

A DOENÇA – Cerca de 550 novos casos de câncer colorretal são registrados anualmente no Distrito Federal. A doença atinge homens e mulheres na mesma proporção, a partir dos 50 anos de idade. Atualmente, 400 pessoas com o tumor fazem quimioterapia e radioterapia na rede de saúde pública do DF.

Segundo a médica Cristina Scandiuzzi, a patologia pode ser facilmente evitada por meio de exames preventivos. As lesões que antecedem o tumor podem ser descobertas até 20 anos antes do câncer aparecer.

Leia também...