Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
15/02/13 às 19h51 - Atualizado em 30/10/18 às 14h57

Secretário de Saúde visita obras em Samambaia

COMPARTILHAR

Cidade terá 11 clínicas da família até o fim do ano

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Rafael Barbosa, visitou as unidades de Saúde de Samambaia nessa sexta-feira (15) para acompanhar e avaliar de perto as obras em execução e o funcionamento das unidades, principalmente da UPA, que nesse dia completa dois anos de funcionamento. A UPA já atendeu mais de 170 mil pacientes, o que representa mais da metade da população de Samambaia, que hoje está em torno de 200 mil, segundo o IBGE.

Rafael Barbosa e o coordenador geral de Saúde de Samambaia, Manoel Solange Fontes Teles, visitaram as instalações da Clínica da Família da 302, que já está com a estrutura física pronta e tem previsão para inauguração até o final de março; as obras do Centro de Atenção Psicossocial de Transtornos; o Centro de Atenção Psicossocial(CAPS – AD) e a unidade de acolhimento transitório, além da Escola de Enfermagem, da UPA e do Hospital Regional de Samambaia (HRSam).

Para reforçar a Atenção Primária, foi anunciada a construção de mais seis clínicas da família em Samambaia até o final do ano, além das duas unidades que já estão em andamento, nas quadras 302 e 831. Com a iniciativa, Samambaia contará com onze clínicas da família, um grande investimento, que permitirá uma cobertura de até 100% de Estratégia em Saúde da Família.

Está prevista também a reforma da maternidade do hospital, dentro das diretrizes preconizadas pela Rede Cegonha. A unidade, que hoje tem 28 leitos, será ampliada e contará com 42. O projeto inclui a reforma da ambientação, do centro de parto normal e do alojamento conjunto. Atualmente, o HRSam realiza uma média de 350 partos por mês. Com a reforma, terá capacidade para efetuar 420 partos.

O coordenador de Saúde de Samambaia avalia a importância da presença do secretário nas ações da Regional. “Foi muito produtiva e fundamental a visita do secretário. O apoio para a resolução de pendências e as determinações foram muito importantes”, analisou Fontes.

Iêda Oliveira