Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
4/02/14 às 19h26 - Atualizado em 30/10/18 às 15h10

Será que você consome o suficiente em vitamina D

COMPARTILHAR

Deficiência causa doenças nos ossos e dentes

A Vitamina D é aquela que ajuda o corpo a absorver o cálcio e sem a qual há risco de deficiência na formação de ossos e dentes. Mas as suas funções e os problemas de sua ausência vão muito além do sistema ósseo. Pesquisas recentes mostram que a esmagadora maioria da população não consome a quantidade de Vitamina D que deveria.

A produção de Vitamina D no corpo, essencialmente, vem da exposição da pele ao sol, hábito que quase deixou de existir para algumas pessoas nos dias de hoje devido a preocupação com o câncer de pele. Alguns dos malefícios de não tomar sol, como o raquitismo, são exclusivamente devido à ausência de vitamina D no corpo.

Ter pouca Vitamina D no organismo pode acarretar consequências negativas como pressão alta, problemas cardíacos, artrite nos ossos e uma variedade de doenças auto-imunes (quando há mau funcionamento de algumas células do próprio corpo, que passam a atacar suas “companheiras”).

Pesquisadores lembram que, como hoje em dia algumas pessoas quase nunca tomam sol, as fontes de Vitamina D são mínimas. A reumatologista Tereza Veverka explica que o sol entra pela pele e segue até os rins e o fígado, onde ocorre a transformação da vitamina. “Importante é manter os níveis suficientes da Vitamina D tanto nos ossos sadios como nos com osteoporose, que enfraquece os ossos por formação inadequada ou desgaste, e que podem causar fraturas principalmente na coluna, bacia, nos punhos e nas costelas”. Prevenir é melhor que remediar, esclarece a médica.

Além de fixar o cálcio nos ossos e, com isso, evitar a osteoporose, a vitamina D mantém o equilíbrio, evita quedas e dá mais vigor aos músculos. A falta dessa substância no organismo, destaca a reumatologista, pode ser identificada em testes laboratoriais, pela análise do cálcio na urina (se houver pouco, é um sinal de alerta) ou por exames de sangue. Não costumam se manifestar sintomas em adultos, exceto por uma eventual dor, cansaço ou falta de equilíbrio. Já as crianças com deficiência de vitamina D podem desenvolver raquitismo, doença que inclui fraqueza e perda óssea.

A Vitamina D que se absorve é “cumulativa”: se você absorver as quantidades recomendadas durante o verão, como indicam os médicos, terá uma reserva de Vitamina D para o inverno, quando inevitavelmente vai estar menos exposto ao sol.

As fontes de vitamina D por meio de alimentos são escassas ! A vitamina D presente no leite, ovos, fígado e algumas espécies de peixe entre outros alimentos é a vitamina D2, ao passo que a vitamina que precisamos é a D3, e se obtém apenas da exposição solar.

O uso de protetor solar tem de ser controlado por especialista. Os raios solares que promovem câncer são os UVB (fator pps) e os que promovem vitamina D no nosso corpo são os UVA (fator fps). Boa parte dos protetores solares têm apenas o fator que têm como único benefício impedir o envelhecimento da pele, mas quando faz isso por um preço muito alto: e bloqueia a absorção de vitamina D por parte do corpo.

Ismar Pereira, 47 anos morador de São Sebastião, servidor publico nunca se preocupou com a vitamina D e não sabia da importância para o organismo.” A partir de agora vou ficar atento a minha necessidade de vitamina D”, afirmou.

A dona de casa Ana Karla, 36 anos e dois filhos, moradora de Valparaíso, informada sobre a importância da vitamina D também desconhecia a necessidade de tomar sol para que o organismo absorva a vitamina. “Com essa informação a gente agora vai procurar se prevenir contra as doenças como o raquitismo”, disse.

Maria de Lourdes , 42 anos moradora de São Sebastião, está bem informada sobre o assunto. ”É uma vitamina que é essencial em todas as idades, desde a infância, tanto para o fortalecimento dos ossos como para a manutenção da saúde”, afirmou.

O que é importante saber
– Pegar sol no mínimo três vezes por semana, em média durante 15 a 20 minutos, sempre antes das 10 horas da manhã. O ideal, é usar camiseta e bermuda e expor braços, pernas, pescoço e rosto sem filtro solar nesse curto período, pois fatores de proteção acima de 8 já impedem a produção do nutriente pela pele. Indivíduos muitos brancos devem tomar sol mais cedo e por cerca de 5 minutos e os de pele escura podem ficar ao sol por um tempo pouco maior.

– Sem vitamina D suficiente, o corpo não pode absorver cálcio de maneira adequada. A deficiência da vitamina D é muito comum em crianças e mães.

– Para prevenir a falta de vitamina D, algum médicos recomendam que mulheres grávidas e adultos em geral, devem consumir pelo menos mil unidades de vitamina D por dia, além de tomar sol.

Por Marina Ávila, da Agência Saúde DF

Atendimento à imprensa:

(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226

Leia também...