Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
7/11/13 às 19h25 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Sífilis é tema de capacitação no Guará

COMPARTILHAR

Servidores da Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde do Guará participaram esta semana de capacitação em Sífilis e Transmissão Vertical da doença. Foram três oficinas presenciais com estudos complementares, num total de 20 horas de atividades. Foram abordados os aspectos clínicos e epidemiológicos, transmissibilidade, diagnóstico e tratamento.

As oficinas foram realizadas em grupos de estudo e cada um contou com a participação de uma facilitadora que discutiu casos clínicos e referências. Todos os dias, os profissionais levaram dever de casa: estudar as portarias, administração de penicilina, fluxograma de manejo clínico e o filme “Miss Evers’Boys/ Cobaias” entre outras atividades.

Leidjany Paz, facilitadora, destacou a estratégia adotada que buscou valorizar o conhecimento dos profissionais e a participação em todo o processo de capacitação. “Essa metodologia propõe a reflexão sobre a prática profissional e assim a mudança e melhoria dos programas e controle da Sífilis nas unidades de saúde. Nós queremos que esse profissional não promova as doenças, mas sim a saúde”, afirmou.

A vivência e interdisciplinaridade foi um dos pré-requisitos para a troca de experiências. “ Os servidores que passam a se conhecer e trabalhar de forma colaborativa. O conhecimento é mutante, transformador e precisa ser em rede. Queremos formar uma rede de conhecimento coerente e integrada desde a emergência até à atenção básica. O objetivo da capacitação é o fortalecimento desse profissional e das ações em saúde que ele realiza”, declarou Paz.

Atualmente, o modelo de vigilância da sífilis no Brasil estabelece três momentos de notificação compulsória: sífilis adquirida, sífilis em gestante e sífilis congênita. Uma dos maiores desafios relatados pelas equipes da atenção básica, é a conscientização do paciente de que a sífilis é uma doença séria e pode passar para o bebê, causando várias sequelas inclusive a mais grave que é o óbito. Há na rede pública de Saúde do DF, o teste rápido e todos os anos, por ocasião das comemorações ao Dia Mundial da Saúde (07/04), a SES/DF adere à mobilização nacional, proposta pelo Ministério da Saúde, de ampliação do diagnóstico de sífilis por meio da estratégia do “Fique Sabendo”.

Por Érika Bragança, da Agência Saúde DF
Atendimento a Imprensa
(61) 3348-2547/2539 e 9862-9226