Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
10/12/13 às 13h17 - Atualizado em 30/10/18 às 15h09

Sistema de informática agiliza processo de internação domiciliar

COMPARTILHAR

Primeiro software do Brasil é implantado na Regional de Ceilândia

O primeiro software para desospitalização do Brasil implantado em agosto desse ano, no Núcleo Regional de Atenção Domiciliar (NRAD) de Ceilândia, segue em fase de testes, com possibilidade de implantação em outras regionais. O SOS-Desospitalização foi idealizado por pesquisadores da Universidade de Brasília (UnB) e servidores da Secretaria de Saúde do DF (SES/DF). O objetivo é contribuir no processo de desospitalização de pacientes em internação hospitalar com condições à internação domiciliar, de forma mais rápida e de qualidade, além de contribuir para a gestão da atenção domiciliar.

O projeto teve início em abril de 2013, porém, os estudos e pesquisas que subsidiaram o desenvolvimento iniciaram em 2010, com o início da parceria de projetos da UnB – Faculdade de Ceilândia e o NRAD-Ceilândia. “Para o desenvolvimento do software é importante citarmos que houve participação de 64% dos servidores dos NRAD e 45% dos gestores de leitos hospitalares, em abril desse ano, com consulta em relação aos possíveis dados que deveriam existir no software”, comenta Márcia Soares Evangelista, servidora da SES/DF e mestre da UnB.

Há duas formas de acessar o software, seja como administrador ou usuário. O primeiro perfil cadastra usuários e pode inserir campos para preenchimento na arquitetura mais simples do programa. O segundo cadastra pacientes internados nos hospitais e candidatos à atenção domiciliar, bem como os que estão em internação domiciliar, suas respectivas informações, além de acessar os relatórios gerados pelo sistema.

De acordo com Márcia, o software traz benefícios tanto para os pacientes como para a unidade de saúde. “Uma das principais vantagens é tornar o processo de desospitalização para a atenção domiciliar de forma mais ágil e eficiente, com a responsabilização da equipe que deverá realizar o acompanhamento pós-alta hospitalar”, afirma. O SOS-Desospitalização sinaliza os pacientes aptos à internação domiciliar, favorece o acompanhamento dos pacientes em casa e emite relatórios estatísticos para planejamento de políticas públicas.

Para a unidade de saúde, o software torna processos em saúde mais ágeis, com economia de tempo e de recursos em saúde, menor burocracia diante da utilização de formulários impressos e enviados via malote. “Também visa proporcionar mais velocidade para a tomada de decisão e disponibilização de informações sobre ações em atenção domiciliar, viabilizando metas em saúde com melhor assistência ao paciente e agilidade na rotatividade dos leitos hospitalares”, explica.

Por Patrícia Kavamoto, da Agência Saúde DF
Atendimento à imprensa:
(61)3348-2547/2539 e 9862-9226