Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
9/01/19 às 12h49 - Atualizado em 9/01/19 às 12h51

SOS DF Saúde já realizou 31 cirurgias

COMPARTILHAR

 

 

Pacientes que aguardam por cirurgias na rede pública de saúde começaram a ser submetidos aos procedimentos, realizados dentro da força-tarefa SOS DF Saúde. Desde o início da ação até a manhã desta quarta-feira (9), foram realizadas 10 cirurgias cardíacas no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal e 21 intervenções ortopédicas no Instituto Hospital de Base.

 

“O SOS DF Saúde faz parte do SOS DF lançado pelo governador Ibaneis Rocha, para dar respostas imediatas aos principais problemas identificados pela sua gestão. É mais do que eliminar a fila de espera por cirurgias. É criar condições para o bom atendimento dos cidadãos também no futuro”, destacou o assessor da coordenação do SOS DF Saúde, Marcelo Melo.

 

As primeiras cirurgias beneficiam, preferencialmente, os pacientes já internados. Por isso, o trabalho das equipes médicas e de gestão tem sido constante, de forma a viabilizar as operações. “Queremos a liberação dos leitos e a retirada dos pacientes dos corredores, dando atendimento digno”, acrescentou.

 

REFORÇO – Além das questões administrativas e de logística, os recursos humanos estão recebendo reforços. De acordo com Melo, já houve uma convocação dos anestesistas aprovados no último concurso público, bem como a contemplação de diversos profissionais com o aumento da carga horária.

 

Sobre a fila de espera, Melo explicou que será feito um diagnóstico da situação dos pacientes e da real posição em que se encontram na lista. “Como não havia um controle de todas as áreas, é possível que tenhamos nomes duplicados ou pacientes que já foram atendidos”, exemplificou. Um levantamento, coordenado pela Secretaria de Saúde para resolver essa questão, já está sendo realizado pelos próprios hospitais da rede e equipes locais.

 

Estima-se que, em 30 dias, o diagnostico esteja totalmente completo e o novo sistema estruturado e, só então, o número de cirurgias a serem realizadas por mês poderá ser previsto. Ao mesmo tempo, os pacientes das filas estarão sendo chamados e reorganizados, os hospitais sendo reformados, novos equipamentos adquiridos e tomadas as demais medidas necessárias para garantir um melhor atendimento à população de forma permanente.

 

Josiane Canterle, da Agência Saúde

Foto: Matheus Oliveira/Arquivo-SES