Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
25/09/21 às 12h40 - Atualizado em 25/09/21 às 16h29

UPA Ceilândia II atende quase 40 pacientes nas primeiras 24 horas de funcionamento

COMPARTILHAR

Unidade conta com salas vermelha e amarela, mas ainda não houve necessidade de utilização; equipe está a postos para receber quem precisa de atendimento emergencial

 

JURANA LOPES I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

 

Inaugurada há pouco mais de 24 horas, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Ceilândia II está em pleno funcionamento e preparada para receber quem precisa de atendimento de emergência. O atendimento foi aberto ao público imediatamente após ser inaugurada pelo governador Ibaneis Rocha, pelo secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, e por outras autoridades locais. Já nos primeiros minutos após a abertura, os pacientes foram acolhidos e, até o momento, 38 pessoas já foram atendidas na unidade.

 

UPA Ceilândia II foi inaugurada na sexta-feira (24/9) – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

A nova UPA foi construída pelo governo do Distrito Federal com o objetivo de oferecer um atendimento em saúde cada vez melhor à população. Localizada na expansão do Setor O, a unidade, que tem capacidade para atender cerca de 4,5 mil pessoas mensalmente, foi a primeira de um pacote de sete UPAs que serão entregues até o fim do ano.

 

A unidade conta, ainda, com salas vermelha e amarela, que recebem os pacientes com quadros mais graves, espaços esses ainda não utilizados, mas que seguem à disposição, caso haja demanda. “Logo após a abertura recebemos um caso de suspeita de isquemia mesentérica, realizamos o primeiro atendimento com a enfermagem e médico, estabilizamos o quadro álgico com medicamentos e procedemos com a transferência deste paciente para o Hospital Regional de Ceilândia (HRC)”, explica o gerente da UPA Ceilândia II, Flávio Amorim.

 

Edilamar foi atendida na UPA Ceilândia II na manhã deste sábado (25) – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

No início da manhã deste sábado (25), a auxiliar de limpeza Edilamar Cardoso Rocha, que procurou a unidade sentindo dores na região da coluna e dos rins, foi prontamente atendida e medicada. Ela já havia buscado atendimento na outra UPA de Ceilândia e na UPA de Samambaia, onde ficou internada por três dias e, depois, foi liberada.

 

“Eu gostei muito da estrutura e do atendimento. Sem contar que é perto de casa e a gente não precisa se deslocar para longe. É um lugar tranquilo, fui muito bem atendida e estou feliz. Agora é tomar a medicação e descobrir se estou com problema nos rins ou na coluna. Vou fazer alguns exames para investigar”, afirma a paciente, que tem sentido dores nas costas há mais de 15 dias.

 

Compromisso com a saúde

 

Na cerimônia de inauguração da UPA Ceilândia II, o governador Ibaneis Rocha destacou que quer entregar a saúde que a população do Distrito Federal merece. O chefe do Executivo local deixou claro que vai acelerar a entrega das outras seis UPAS e existe a previsão de entregar mais cinco unidades básicas de saúde (UBS), ainda neste ano.

 

O secretário de Saúde, general Manoel Pafiadache, ressaltou que, com as outras seis UPAs que serão inauguradas, será possível atender 35 mil pessoas, além de gerar empregos para diversos profissionais.

 

A paciente foi assistida pela equipe de profissionais da UPA Ceilândia II – Foto: Geovana Albuquerque/Agência Saúde-DF

A construção das UPAs está sendo realizada por intermédio do Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (Iges-DF), que também vai gerir as unidades. A estrutura de Ceilândia recebeu o investimento de, aproximadamente, R$ 6,6 milhões repassados pela Secretaria de Saúde do DF, sendo R$ 5,4 milhões em obras, R$ 1,7 milhão em equipamentos e R$ 535,5 mil em mobília.

 

Atendimento da unidade

 

A UPA Ceilândia II vai funcionar de forma ininterrupta, todos os dias da semana, durante 24 horas. Atenderá casos de urgências e emergências de clínica médica, como problemas de pressão e febre alta, sintomas respiratórios, como falta de ar, desmaio, convulsão, diarréia aguda, infecção do trato urinário, dor abdominal de moderada a aguda e complicações cardiológicas e neurologistas, como infarto e AVC.

 

Os médicos prestam socorro, prescrevem medicamentos e exames e analisam se é o caso encaminhar os pacientes a um hospital, mantê-los em observação por 24 horas ou dar alta após o atendimento. Todas as novas UPAs também terão Sala de Ensino, onde os profissionais realizarão treinamentos e cursos de atualização permanentes, fornecidos pela unidade.

 

Construída na QNO 21, Área Especial D, a UPA de Ceilândia II começou a ser construída em maio de 2020. Possui uma área de 1,2 mil metros quadrados e conta com dois leitos de atendimento crítico emergencial na Sala Vermelha, seis leitos de observação e um leito de isolamento na Sala Amarela, 10 poltronas de medicação/inalação e reidratação na Sala Verde e três consultórios. A unidade possui também uma sala para classificação de risco. O Iges-DF equipou a nova unidade de Ceilândia para realizar exames laboratoriais de urgência, eletrocardiograma e raio-X.