Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/04/18 às 8h27 - Atualizado em 30/10/18 às 15h19

UPA terá ronda multidisciplinar sobre segurança do paciente

 

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Núcleo Bandeirante receberá, nesta quinta-feira (26), a partir das 14h, uma ronda multidisciplinar de profissionais da saúde para abordar servidores e usuários da rede pública sobre a Cultura de Segurança do Paciente.

 

Essa é a primeira ação com esse viés realizada em uma UPA do Distrito Federal.

 

A iniciativa é promovida pela Comissão da Qualidade e Segurança do Paciente da Superintendência da Região de Saúde Centro-Sul, em alusão a campanha nacional Abril pela Segurança do Paciente.

 

As atividades incluem a aplicação de questionários e a distribuição de folhetos com as metas internacionais que envolvem o tema, para informar os profissionais da UPA.

 

O objetivo é aperfeiçoar a segurança institucional e estimular os servidores a participarem das ações educativas e de melhorias do ambiente de trabalho, com melhor qualidade para o paciente e/ou seu acompanhante/familiar.

 

De acordo com a superintendente da Região Centro-Sul, Moema Campos, a meta é que essas rondas multidisciplinares sejam feitas na UPA do Núcleo Bandeirante uma vez por mês, em todos os setores da unidade.

 

“Esse tipo de ação é sempre focada no hospital. Queremos fazer também em outros espaços de saúde. Por isso, montamos uma comissão para trazer, pela primeira vez, a ronda para a atenção secundária, que é na UPA. Pretendemos levar também para a atenção primária”, informou Moema Campos.

 

SEGURANÇA DO PACIENTE – A iniciativa é um componente essencial da qualidade do cuidado, e tem adquirido, em todo o mundo, importância cada vez maior para os pacientes e suas famílias, gestores e profissionais de saúde, no sentido de oferecer uma assistência segura.

 

Os incidentes associados ao cuidado de saúde e, em particular, os eventos adversos (com danos ao paciente), representam uma elevada morbidade e mortalidade em todos os sistemas de saúde.

 

Esta situação levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) e outros organismos internacionais a lançarem campanhas, desafios e estratégias voltadas à redução de riscos e de danos no cuidado à saúde.

 

 

TEXTO: Leandro Cipriano, da Agência Saúde