Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/11/21 às 14h33 - Atualizado em 16/11/21 às 14h39

CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

CENTROS DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

Os Centros de Atenção Psicossocial – CAPS são serviços especializados de saúde mental inseridos na comunidade e que funcionam de porta aberta, ou seja, não é necessário encaminhamento para ser acolhido neste serviço. Atualmente a SESDF conta com 18 (dezoito) CAPS de todas as modalidades, distribuídos por todas as Regiões de Saúde do Distrito Federal.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.
Caso uma pessoa apresente sofrimento psíquico (como depressão, ansiedade, pânico, delírios, uso de drogas, pensamentos de suicídio), ela pode procurar um CAPS de acordo o tipo de serviço oferecido.
CAPSi (Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil) – é um serviço público de saúde que atende crianças e adolescentes que apresentem intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes (até os 17 anos, 11 meses e 29 dias) ou sofrimento psíquico decorrente do uso de substâncias psicoativas (até 15 anos, 11 meses e 29 dias).
CAPS I (Centro de Atenção Psicossocial 1) – é um serviço público de saúde para pessoas de todas as idades e que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente de transtornos mentais graves e persistentes ou do uso de álcool e outras drogas. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial.
CAPS II (Centro de Atenção Psicossocial 2) – é um serviço público de saúde que atende pessoas a partir de 18 anos que apresentem intenso sofrimento psíquico. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial.
CAPS III (Centro de Atenção Psicossocial 3) – é um serviço público de saúde que atende pessoas a partir de 18 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente de transtornos mentais graves e persistente. Funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados.
CAPS AD II (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas 2) – é um serviço público de saúde que atende pessoas a partir dos 16 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente do uso de álcool e outras drogas. Funciona de segunda a sexta-feira em horário comercial.
CAPS AD III (Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas 3) – é um serviço público de saúde que atende pessoas a partir de 16 anos que apresentem sofrimento psíquico intenso decorrente do uso de álcool e outras drogas. Funciona 24 horas por dia, incluindo finais de semana e feriados.

 

CAPS i ASA NORTE

O Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil – CAPS i Asa Norte compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento à crianças e adolescentes com grave sofrimento psíquico, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, pediatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
O CAPS i Asa Norte é um serviço especializado de saúde mental, para crianças e adolescentes com quadros graves e persistentes de transtorno mental, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.

Endereço: SMHN, Quadra 03, Conjunto 1, Bloco A (Edifício COMPP) – Asa Norte, Brasília/DF.
Telefone: (61) 2017-1900 (Ramais 7710 e 7711).
E-mail: capsi.asanorte@yahoo.com.br
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Público Alvo

Atende crianças e adolescentes que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes, até 18 anos, incluindo aqueles relacionados ao uso de substâncias psicoativas, até 16 anos.

Requisitos

Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS i Asa Norte, o usuário deve atender os seguintes requisitos:

  • Rede de apoio gravemente disfuncional, ausente ou rompida; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Plano específico para cometer suicídio; ou
  • Ideação suicida recorrente; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com comprometimento significativo do comportamento alimentar (recusa alimentar persistente e/ou comportamentos purgativos recorrentes, com baixo peso e/ou dificuldade de ganhar peso); ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com risco de auto ou heteroagressividade; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização comportamental, desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, abuso de substâncias psicoativas); ou
  • Agitação psicomotora aguda ou contínua com risco de auto e heteroagressividade; ou
  • Movimento estereotipado com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Distúrbio comportamental com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a áreas restritas e repetitivas de interesse; ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) por internação decorrente de crise psíquica.

Formas de Prestação de Serviço

O primeiro acesso do cidadão ao CAPS i Asa Norte ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários

Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

 CAPS II BRASÍLIA

Endereço: SGAN 905, Módulo D (Localizado no Centro de Saúde 11) – Asa Norte, Brasília/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramais 7700,7701).
E-mail: caps2brasilia@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição

O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II Brasília compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso

O CAPS II Brasília é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Brasília ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo

Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes.

Requisitos

Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS II Brasília, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço

Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários

Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS AD III BRASÍLIA (CANDANGO)

Endereço: SCS, Quadra 05, Bloco B, Loja 73 – Asa Sul, Brasília/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramal 1169).
E-mail: capsad3candango.ses@gmail.com
Horário de acolhimento: De 7h às 19h, todos os dias da semana.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim
Estacionamento Público: Sim.

Descrição

O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD III Brasília compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, equipe de enfermagem e farmacêuticos.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso

O CAPS AD III Brasília é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD III Brasília ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo

Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas. Proporciona serviços de atenção contínua, com funcionamento vinte e quatro horas, incluindo feriados e finais de semana, e acolhimento noturno.

Requisitos 

Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD III Brasília, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:
Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço

Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, acolhimento noturno, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS i SOBRADINHO I

​Endereço: Quadra 4, Área Especial, Lote 6 – Sobradinho I/DF.
Telefone: 2017-1145 (Ramal 1838).
E-mail: capsisobradinho@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento: Não.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil – CAPS i Sobradinho I compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento à crianças e adolescentes com grave sofrimento psíquico, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatra, neuropediatra, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso

O CAPS i Sobradinho I é um serviço especializado de saúde mental, para crianças e adolescentes com quadros graves e persistentes de transtorno mental, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS i Sobradinho I ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende crianças e adolescentes que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes, até 18 anos, incluindo aqueles relacionados ao uso de substâncias psicoativas, até 16 anos.

Requisitos 

Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS i Sobradinho I, o usuário deve atender os seguintes requisitos:

  • Rede de apoio gravemente disfuncional, ausente ou rompida; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Plano específico para cometer suicídio; ou
  • Ideação suicida recorrente; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com comprometimento significativo do comportamento alimentar (recusa alimentar persistente e/ou comportamentos purgativos recorrentes, com baixo peso e/ou dificuldade de ganhar peso); ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com risco de auto ou heteroagressividade; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização comportamental, desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, abuso de substâncias psicoativas); ou
  • Agitação psicomotora aguda ou contínua com risco de auto e heteroagressividade; ou
  • Movimento estereotipado com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Distúrbio comportamental com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a áreas restritas e repetitivas de interesse; ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) por internação decorrente de crise psíquica.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

 CAPS AD II SOBRADINHO II

Endereço: AR 17, Chácara 14 – Sobradinho II/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramal 2115).
E-mail: capsadsobradinho2@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD II Sobradinho II compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS AD II Sobradinho II é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD II Sobradinho II ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD II Sobradinho II, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:
Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS II PLANALTINA

Endereço: Via W/L, Nº 4, Setor Hospitalar Oeste, AE – Planaltina/DF.
Telefone: (61) 2017-1350 (Ramal 1267).
E-mail: capsplanaltina@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II Planaltina compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS II Planaltina é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Planaltina ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS II Planaltina, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS II PARANOÁ

Endereço: Quadra 02, Conjunto K, AE 1, Setor Hospitalar do Paranoá – Paranoá/DF.
Telefone: (61) 2017-1231 (Ramais 2250 e 2251)
E-mail: caps2.paranoa@saude.df.gov.br
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II Paranoá compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS II Paranoá é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Paranoá ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário.  O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS II Paranoá, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS AD II ITAPOÃ

Endereço: Quadra 378, Conjunto A, Área Especial Nº 4 – Del Lago, Itapoã/DF (Dentro da administração do Itapoã).
Telefone: (61) 99113-0736, 2106-1813 (Ramal 2252)
E-mail: capsaditapoa@yahoo.com.br
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD II Itapoã compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS AD II Itapoã é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD II Itapoã ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD II Itapoã, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
  • Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
  • Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS AD II GUARÁ

Endereço: QE 23, Área Especial S/N – Guará II/DF (Subsolo do Centro de Saúde 02).
Telefone: (61) 2017- 1145 (Ramais 3781 e 3782).
E-mail: capsadguara@yahoo.com.br
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD II Guará compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS AD II Guará é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD II Guará ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD II Guará, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
  • Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
  • Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

 CAPS II RIACHO FUNDO

Endereço: EPNB, KM 2, Granja do Riacho Fundo, AE, S/N – Riacho Fundo I/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramais 8094, 8093 e 8096).
E-mail: g.capsism@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II Riacho Fundo compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS II Riacho Fundo é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Riacho Fundo ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo 
Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS II Riacho Fundo, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

 CAPS AD II SANTA MARIA

Endereço: Quadra 312, Conjunto H, Casa 12 – Santa Maria Norte/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramais 5640 e 5641).
E-mail: capssantamaria@yahoo.com.br
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD II Santa Maria compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrente do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS AD II Santa Maria é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD II Santa Maria ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD II Santa Maria, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
  • Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
  • Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS II TAGUATINGA

​Endereço: QNA 39, Área Especial 19 – Taguatinga Norte, Taguatinga/DF.
Telefone: (61) 2017-1700 (Ramal 4271), 99415-1249.
E-mail: caps2.hrt@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS II Taguatinga compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, equipe de enfermagem e farmacêutico.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS II Taguatinga é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Taguatinga ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS II Taguatinga, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS i TAGUATINGA

Endereço: QNF, AE 24 – Taguatinga/DF.
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramais 4260 e 4261)
E-mail: capsitaguatinga@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil – CAPS i Taguatinga compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento à crianças e adolescentes com grave sofrimento psíquico, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, pediatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, fisioterapeutas e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS i Taguatinga é um serviço especializado de saúde mental, para crianças e adolescentes com quadros graves e persistentes de transtorno mental, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS i Taguatinga ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende crianças e adolescentes que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes, até 18 anos, incluindo aqueles relacionados ao uso de substâncias psicoativas, até 16 anos.

Requisitos
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS i Taguatinga, o usuário deve atender os seguintes requisitos:

  • Rede de apoio gravemente disfuncional, ausente ou rompida; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Plano específico para cometer suicídio; ou
  • Ideação suicida recorrente; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com comprometimento significativo do comportamento alimentar (recusa alimentar persistente e/ou comportamentos purgativos recorrentes, com baixo peso e/ou dificuldade de ganhar peso); ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com risco de auto ou heteroagressividade; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização comportamental, desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, abuso de substâncias psicoativas); ou
  • Agitação psicomotora aguda ou contínua com risco de auto e heteroagressividade; ou
  • Movimento estereotipado com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Distúrbio comportamental com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a áreas restritas e repetitivas de interesse; ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) por internação decorrente de crise psíquica.

Formas de Prestação de Serviço

Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários

Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS AD III SAMAMBAIA

Endereço: QS 107, Conjunto 8, Lotes 3, 4 e 5 – Samambaia/DF.
Telefone: (61) 2017-1700 (ramal 3349).
E-mail: capsadsam@gmail.com
Horário de acolhimento: De 7h às 19h, todos os dias da semana.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD III Samambaia compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, equipe de enfermagem e farmacêuticos.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS AD III Samambaia é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD III Samambaia ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas. Proporciona serviços de atenção contínua, com funcionamento vinte e quatro horas, incluindo feriados e finais de semana, e acolhimento noturno.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD III Samambaia, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:
Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, acolhimento noturno, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

 

CAPS III SAMAMBAIA

Endereço: Quadra 302, Conjunto 5, Lote 1, Centro Urbano – Samambaia/DF.
Telefone: (61) 98549-5372.
E-mail: caps.samambaia@gmail.com
Horário de acolhimento: De 7h às 19h, todos os dias da semana.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

Descrição
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS III Samambaia compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, equipe de enfermagem e farmacêuticos.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

Formas de Acesso
O CAPS III Samambaia é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes de transtorno mental. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS II Samambaia ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

Público Alvo
Atende pessoas maiores de 18 anos, em intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes. Proporciona serviços de atenção contínua, com funcionamento vinte e quatro horas, incluindo feriados e finais de semana, e acolhimento noturno.

Requisitos 
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS III Samambaia, o usuário deve ter a partir de 18 anos e atender os seguintes requisitos:

  • Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
  • Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
  • Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
  • Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
  • Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
  • Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
  • Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
  • Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
  • Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
  • Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
  • Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
  • Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência.

Formas de Prestação de Serviço
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, acolhimento noturno, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

Documentos Necessários
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.​

 

CAPS i RECANTO DAS EMAS

​Endereço: Quadra 307, A/E 1 – Recanto das Emas/DF (dentro do Centro de Saúde 1 do Recanto das Emas).
Telefone: (61) 2017-1145 (Ramais 6000, 6001 e 6002).
E-mail: capsi.cgsre@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

 

DESCRIÇÃO:
O Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil – CAPS i Recanto das Emas compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento à crianças e adolescentes com grave sofrimento psíquico, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: clínicos, pediatras, fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

 

FORMAS DE ACESSO:
O CAPS i Recanto das Emas é um serviço especializado de saúde mental, para crianças e adolescentes com quadros graves e persistentes de transtorno mental, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS i Recanto das Emas ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

 

PÚBLICO ALVO:
Atende crianças e adolescentes que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes, até 18 anos, incluindo aqueles relacionados ao uso de substâncias psicoativas, até 16 anos.

Requisitos
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS i Recanto das Emas, o usuário deve atender os seguintes requisitos:
Rede de apoio gravemente disfuncional, ausente ou rompida; ou
Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
Plano específico para cometer suicídio; ou
Ideação suicida recorrente; ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com comprometimento significativo do comportamento alimentar (recusa alimentar persistente e/ou comportamentos purgativos recorrentes, com baixo peso e/ou dificuldade de ganhar peso); ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com risco de auto ou heteroagressividade; ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização comportamental, desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, abuso de substâncias psicoativas); ou
Agitação psicomotora aguda ou contínua com risco de auto e heteroagressividade; ou
Movimento estereotipado com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
Distúrbio comportamental com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a áreas restritas e repetitivas de interesse; ou
Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) por internação decorrente de crise psíquica.

FORMAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO:
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

CAPS AD III CEILÂNDIA

Endereço: QNN 01, Conjunto A, Lotes 45/47, Avenida Leste – Ceilândia Norte, Ceilândia/DF.
Telefone: (61) 2017-2000 (Ramais 4705, 4706 e 4708).
E-mail: capsadcei@gmail.com
Horário de acolhimento: De 7h às 21h, todos os dias da semana.
Horário de funcionamento: 24 horas.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

DESCRIÇÃO:
O Centro de Atenção Psicossocial para tratamento de Álcool e outras Drogas – CAPS AD III Ceilândia compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: médicos clínicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, equipe de enfermagem e farmacêuticos.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

FORMAS DE ACESSO:
O CAPS AD III Ceilândia é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas com quadros graves e persistentes decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS AD III Ceilândia ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

PÚBLICO ALVO:
Atende pessoas maiores de 16 anos, que apresentam intenso sofrimento psíquico decorrente do uso nocivo e dependência de álcool e outras drogas. Proporciona serviços de atenção contínua, com funcionamento vinte e quatro horas, incluindo feriados e finais de semana, e acolhimento noturno.

REQUISITOS
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS AD III Ceilândia, o usuário deve ter a partir de 16 anos e atender os seguintes requisitos:
Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais;
Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE;
Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE.

FORMAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO:
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, acolhimento noturno, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

​​CAPS I BRAZLÂNDIA:

​Endereço: Quadra 01, AE 2, Setor Veredas – Brazlândia/DF.
Telefone: (61) 2017-1300 (Ramal 3978).
E-mail: capsbrz@gmail.com
Horário de atendimento: De 7h às 18h, de segunda a sexta-feira.
Prioridade de atendimento: Pessoas com deficiência, idosos com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos, gestantes, lactantes, pessoas com crianças de colo e os obesos nos termos da lei.
Acessibilidade: Sim.
Estacionamento Público: Sim.

DESCRIÇÃO:
O Centro de Atenção Psicossocial – CAPS I Brazlândia compõe um ponto de atenção estratégico da Rede de Atenção Psicossocial e se constitui como um serviço de saúde de caráter aberto e comunitário. Oferta atendimento às pessoas com grave sofrimento psíquico, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas, em sua área territorial, seja em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial.
A assistência em saúde mental é realizada por equipe multiprofissional que atua sob a ótica interdisciplinar, composta por: psiquiatras, psicólogos, terapeutas ocupacionais, assistentes sociais e equipe de enfermagem.
As atividades no Centro de Atenção Psicossocial são realizadas prioritariamente em espaços coletivos (grupos, assembleias de usuários, reunião diária de equipe), de forma articulada com os outros pontos de atenção da rede de saúde e das demais redes. O cuidado, no âmbito do CAPS, é desenvolvido por intermédio de Projeto Terapêutico Singular, envolvendo em sua construção a equipe, o usuário e sua família.

FORMAS DE ACESSO:
O CAPS I Brazlândia é um serviço especializado de saúde mental, para pessoas de todas as faixas etárias com quadros graves e persistentes de transtorno mental, incluindo aqueles com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas. Possui caráter aberto e comunitário, acolhendo pessoas com demandas espontâneas ou encaminhadas por outro dispositivo da Rede de Saúde ou da Rede Intersetorial (Assistência Social, Educação, Judicial). Por possuir caráter comunitário, o cidadão deve procurar, prioritariamente, o CAPS de sua região.
O primeiro acesso do cidadão ao CAPS I Brazlândia ocorre através do acolhimento, não havendo necessidade de agendamento prévio ou número máximo diário. O acolhimento está garantido a todo cidadão, que será acolhido por um profissional da equipe, que fará a classificação e estratificação da demanda para o CAPS ou para outro dispositivo da Rede.

PÚBLICO ALVO:
Atende pessoas de todas as faixas etárias, que apresentem intenso sofrimento psíquico decorrente de transtornos mentais graves e persistentes, incluindo aqueles decorrentes do uso de álcool e outras drogas.

REQUISITOS
Para inserção do cidadão no tratamento no CAPS I Brazlândia, o usuário deve atender os seguintes requisitos:
Dificuldades graves relacionadas à manutenção do autocuidado, das atividades laborais e formação e manutenção de rede de apoio social, associadas a transtornos mentais; ou
Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
Ideação suicida recorrente, sem indicativos de risco imediato; ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização e desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, uso de substâncias psicoativas); ou
Alterações comportamentais com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a comportamentos repetitivos e interesses restritos ou a movimentos estereotipados, com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
Luto ou reações a eventos de vida associados a sinais de alerta, independentemente do tempo decorrido (ideação suicida, alucinações, perda da capacidade de autocuidado e de exercer atividades diárias); ou
Deficiência intelectual ou transtornos mentais decorrentes de lesões orgânicas, disfunção cerebral ou de doença física, com grave comprometimento da autonomia, da capacidade de tomar suas próprias decisões, de garantir sua segurança e de manter o autocuidado (higiene, alimentação, cuidados pessoais); ou
Traços de personalidade e padrões rígidos de funcionamento que levam a sofrimento pessoal, social ou ocupacional, com comportamentos que indiquem risco a si ou outrem e rede de suporte social e familiar comprometida (inclui os diagnósticos de transtornos de personalidade); ou
Transtornos mentais em que ocorra comprometimento das atividades diárias, da autonomia, da capacidade de cuidar de si e que indiquem necessidade de intervenções intensivas para o manejo (inclui os diagnósticos de transtorno depressivo maior, transtorno bipolar do humor, esquizofrenia, transtorno delirante persistente, transtorno esquizoafetivo); ou
Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) de internação decorrente de crise psíquica; ou
Avaliação do estado mental para cumprir determinação judicial ou demandas de órgãos de controle (Defensoria Pública, Ministério Público, Varas de Família, da Promotoria de Defesa da Pessoa idosa, entre outros), com o objetivo de orientar a inserção do usuário na rede de saúde conforme fluxos dos serviços, à exceção de realização de perícia médica; ou
Quadros de transtornos mentais com os critérios acima, associados a padrões de uso de substâncias psicoativas que não caracterizem síndrome de dependência; ou
Uso Nocivo de álcool e/ou outras drogas: modo de consumo de uma substância psicoativa que é prejudicial à saúde física, psíquica, e traz consequências sociais, familiares ou ocupacionais; ou
Síndrome de Abstinência: conjunto de sintomas de gravidade variável que ocorrem quando de uma abstinência absoluta ou relativa de uma substância psicoativa consumida de modo prolongado. A síndrome de abstinência pode se complicar pela ocorrência de convulsões e delirium. Casos avaliados como moderados a graves devem ser encaminhados inicialmente à Rede de Urgência e Emergência – RUE; ou
Síndrome de Dependência: conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos e fisiológicos que se desenvolvem após repetido consumo de substância psicoativa, tipicamente associado a forte desejo de usá-la; à dificuldade de controlar o consumo; à utilização persistente apesar de consequências negativas; a maior prioridade dada ao uso da droga em detrimento de outras atividades e obrigações; ao aumento da tolerância pela droga e, ao estado de abstinência. Intoxicação ou abstinência agudas em graus moderado a grave devem ser inicialmente direcionados à RUE; ou
Rede de apoio gravemente disfuncional, ausente ou rompida; ou
Tentativa recente de suicídio (últimos 30 dias); ou
Plano específico para cometer suicídio; ou
Ideação suicida recorrente; ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com comprometimento significativo do comportamento alimentar (recusa alimentar persistente e/ou comportamentos purgativos recorrentes, com baixo peso e/ou dificuldade de ganhar peso); ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios) com risco de auto ou heteroagressividade; ou
Presença de sintomas psicóticos (alucinações e delírios), desorganização comportamental, desinibição comportamental associados ao envolvimento em atividades com elevado potencial para consequências danosas (fugas de casa, comportamento sexual de risco, abuso de substâncias psicoativas); ou
Agitação psicomotora aguda ou contínua com risco de auto e heteroagressividade; ou
Movimento estereotipado com necessidade de monitoramento contínuo e de medidas de proteção para prevenção de lesão grave; ou
Distúrbio comportamental com risco a si ou terceiros, com comprometimento da interação e comunicação social, associados a áreas restritas e repetitivas de interesse; ou
Alta hospitalar recente (últimos 30 dias) por internação decorrente de crise psíquica.

FORMAS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO:
Acolhimento porta aberta (sem necessidade de agendamento prévio ou número máximo por dia), atendimentos individuais e em grupos/oficinas terapêuticas, visitas domiciliares, atendimentos familiares, reabilitação psicossocial, contratualização no território, articulação de rede.

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:
Documentos Pessoais: Documento oficial de identificação com foto, Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS) e Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório).
Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.