Imunização (vacinação)

Muitas doenças comuns no Brasil e no mundo deixaram de ser um problema de saúde pública pela vacinação massiva da população. Poliomielite, sarampo, rubéola, tétano e coqueluche são só alguns exemplos de doenças comuns no passado e que as novas gerações só ouvem falar em histórias. No DF, toda a população pode se vacinar nas salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Distrito Federal. Para isso, basta comparecer a uma sala de vacinas, preferencialmente com o cartão de vacinação em mãos.

A Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar – GEVITHA, da Diretoria de Vigilância Epidemiológica é a área técnica de imunização do Distrito Federal, juntamente com a Coordenação de Atenção Primária à Saúde – COAPS, que é responsável pelas ações de imunização nas Unidades Básicas de Saúde. Além disso, a Diretoria de Vigilância Epidemiológica realiza um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes da saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos.
 

Área Técnica de Imunização

Gerência de Vigilância das Doenças Imunopreveníveis e de Transmissão Hídrica e Alimentar
GEVITHA/DIVEP/SVS/SES-DF
Endereço: bloco D, SEPS 712/912 – Asa Sul – Brasília/DF
CEP: 70.390-125
Telefone (VOIP): 2017-1145 – ramal: 8250
e-mail: gveidf@gmail.com
e-mail: imunizadf@gmail.com

Gerência de Rede de Frio do Distrito Federal
GRF/GEVITHA/DIVEP/SVS/SES-DF
Endereço: SGAP, Lote 06, Bloco G, Parque de Apoio da Secretaria de Saúde – DF, SIA
Cep 71.200-010– Brasília/DF
Tel. (61) 2017-1145 Ramal 4190/4191/99213-4932
e-mail: redefrio.gevei@saude.gov.br
 

Requisitos de Atendimento

Toda a população pode vacinar-se nas salas de vacinação localizadas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do Distrito Federal. As crianças devem estar acompanhadas pelos pais ou responsáveis. 

Para atendimento no Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE) que realiza vacinação para os portadores de condições especiais de morbidade ou exposição a situações de risco, o paciente deve apresentar a prescrição com indicação médica (com CID10) e relatório clínico do caso (em receituário ou outro documento, cópia de resultado de exame que comprove o laudo, se for o caso).

Em caso de viagem, conheça os serviços do Ambulatório do Viajante.

Documentação Necessária

  • Documento de identificação válido
  • Cartão de Vacina*

Para vacinação no Centro de referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), além dessa documentação, é necessária a prescrição com indicação médica e relatório clínico do caso.

*Para quem perdeu o cartão de vacinação, a orientação é procurar a sala onde recebeu as vacinas e tentar resgatar o histórico de vacinação. Caso não seja possível, será vacinado de acordo com as vacinas preconizadas para cada faixa etária e será feito novo cartão.

**A ausência da Caderneta de Vacinação não é um impeditivo para vacinar. Ressalta-se que o cartão de vacinação é o documento que comprova a situação vacinal do indivíduo, devendo ser guardado junto aos demais documentos pessoais.
 

Prestação de Serviço

A vacinação de rotina para a população geral acontece em mais de 120 unidades de saúde públicas das sete Regiões de Saúde, incluindo salas de vacinação fixas e serviços de vacinação volante para unidades rurais ou unidades que não possuem estrutura para dispor de uma sala fixa. Confira o endereço e o horário de funcionamento da sala de vacina da Unidade Básica de Saúde mais próxima de você.


Vacinação através do Centro de referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE)

O Centro de referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), tem como objetivo oferecer acesso aos imunobiológicos especiais para os portadores de condições especiais de morbidade ou exposição a situações de risco, além de realizar investigação, acompanhamento e elucidação dos casos de eventos adversos graves e/ou inusitados.

Para atendimento no CRIE, o paciente deve apresentar um documento de identificação válido e o cartão de vacina. Além disso, é necessário apresentar a prescrição com indicação médica (com CID10) e relatório clínico do caso (em receituário ou outro documento, cópia de resultado de exame que comprove o laudo, se for o caso).

O Distrito Federal possui cinco salas que oferecem imunobiológicos especiais:


Sala do Viajante

A Sala do Viajante atende as pessoas que irão viajar para regiões com incidência de doenças infectocontagiosas, tanto no exterior quanto no Brasil. No local, o usuário receberá orientações sobre pré e pós viagem, sobre os tipos de vacinas conforme local de destino e também será informado sobre as doenças prevalentes na localidade, bem como as formas de evitá-las. As doenças transmissíveis que o ambulatório orientará são de interesse de saúde pública e compõem o Regulamento Sanitário Internacional.

Para atendimento na Sala do Viajante é necessário apresentar um documento de identificação válido e o cartão de vacina. 

O agendamento deverá ser realizado pessoalmente ou por telefone e o atendimento é feito por ordem de marcação, com tempo de espera de 30 (trinta) minutos entre as consultas.

Funcionamento: Segunda à Sexta-feira de 7h às 12h; Terça, Quinta e Sextas-feira, 13h às 18h;
 

*Você pode obter mais informações através do e-mail: agendamentocriehran@gmail.com.


Mais informações sobre vacinação