Saúde da Família

CONHEÇA A SUA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE

Estratégia Saúde da Família

ENTENDA A ESTRUTURA ORGANIZACIONAL DE CADA EQUIPE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Cada profissional da atenção básica tem um papel importante na unidade básica de saúde

ADRIANA SILVA I EDIÇÃO: JOHNNY BRAGA I DA AGÊNCIA SAÚDE-DF

Da vacina que chega ao braço da população até um atendimento mais urgente. É na Atenção Primária que a maioria dos atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) ocorrem diariamente. São nessas unidades que o paciente deve procurar para receber atendimento e, caso seja necessário, ele será encaminhado para outro nível de assistência à saúde. E, na hora de procurar por este serviço público, você já se perguntou qual a função que aquele profissional muitas vezes de jaleco branco desenvolve para ajudar você?

 

Profissionais da Atenção Básica que atuam na UBS 17 de Ceilândia – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

Na estrutura organizacional das UBS, cada profissional tem sua função e toda a equipe de Estratégia de Saúde da Família atua de maneira sincronizada para que o atendimento possa ser realizado. O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é responsável por aproximar a população do Sistema Único de saúde, trabalhando com mapeamento e o cadastramento dos dados sociodemográficos da população de abrangência das UBS. Nesse aspecto, o ACS potencializa o vínculo, pois consegue identificar as situações de risco coletivo e individual dos moradores da sua área, cabendo a ele ouvir e direcionar o atendimento na APS.

 

“Eu gosto do que eu faço, adoro minha profissão. Anteriormente eu trabalhava com turismo, mas essa profissão não me trazia alegria. Hoje eu me sinto realizada, muito feliz e orgulhosa pela função que eu exerço, e também me sinto útil na vida das pessoas”, afirma a  agente comunitária de saúde, Egrimar Telma, que trabalha há 5 anos na equipe Verde da UBS 17 de Ceilândia.

 

Seguindo essa ordem, ao chegar na UBS o usuário entra em contato com o enfermeiro ou técnico de enfermagem, profissionais que conduzem atividades voltadas ao acolhimento e atendimento de pessoas famílias e comunidades, com o foco na prevenção de doenças e promoção da saúde, que inclui realizar exame físico, averiguar a pressão arterial, fazer a pesagem, fazer curativos, realizar as medicações, caso seja necessário, dentre outras atividades, fazer a solicitação de exames laboratoriais, prescrever medicações e, se necessário, encaminhá-lo para atendimento com o Médico de Família e Comunidade.

 

Assim sendo necessário, o médico de família já está em poder de todas as informações sobre o paciente, bem como seus exames físicos, clínicos e laboratoriais. Esse profissional saberá conduzir o tratamento adequado.
“Eu gosto muito da função que exerço dentro da unidade, gosto de ajudar os pacientes e realizo isso todos os dias com muita alegria”, conta a técnica de enfermagem Maria Lucilene que faz parte da equipe Rosa da UBS 17 Ceilândia há 1 anos e 4 meses.

 

Conheça mais sobre esses profissionais na arte a seguir:

 

 

Para o médico de Família e Comunidade Danilo Amorim, que atua na UBS 17 de Ceilândia há 1 ano e 4 meses, os profissionais de saúde são especialistas em “gente” que atendem pessoas de todas as idades com qualquer problema de saúde e também aqueles que não têm nenhum problema de saúde.

 

“Nosso objetivo é acompanhar as pessoas ao longo do seu ciclo de vida para desenvolver ações tanto de prevenção, como de cura e reabilitação dos problemas de saúde que as pessoas apresentarem. Como trabalhamos com uma população definida por um longo período de tempo, passamos a conhecer muito mais do que a parte clínica do paciente, mas também o contexto que elas vivem, onde trabalham, o contexto familiar, enfim. Dessa forma, conseguimos saber a necessidade de saúde dessa população”, destaca.

 

Unidade básica de saúde

Adicionalmente, a APS tem a equipe de Saúde Bucal, que busca ampliar o acesso às ações e serviços de promoção, prevenção e recuperação da saúde bucal, por meio de medidas individuais e coletivas.

 

Em caráter complementar às equipes de Saúde da Família, na Atenção Primária à Saúde, tem a organização do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB), que é composto por uma equipe multidisciplinar e interdisciplinar contendo farmacêutico, fonoaudiólogo, fisioterapeuta, nutricionista, psicólogo, assistente social e terapeuta ocupacional.

O Distrito Federal possui 176 Unidades Básicas de Saúde com modelo de atendimento de Estratégia de Saúde da Família (ESF). Os profissionais, que compõem a ESF atendem todos os ciclos de vida, do bebê ao idoso, acompanhamento gestacional e outros tipos de atendimento.

 

As UBSs também possuem farmácias e salas de vacina, que oferecem imunizantes do calendário nacional de imunização durante todo o ano. Pacientes com dificuldade de locomoção contam com atendimento em casa prestado pelas equipes de Saúde da Família.

 

UBS 17 de Ceilândia – Foto: Breno Esaki/Agência Saúde-DF

As visitas são agendadas por meio de solicitação junto à própria UBS, ou por meio de monitoramento do Agente Comunitário de Saúde, que também pode ir até à residência do usuário, realizar o cadastro ou verificar o motivo pelo qual o paciente não compareceu às consultas na data agendada.

 

As UBSs oferecem, ainda, atividades coletivas, que são uma das tecnologias leves utilizadas pela APS para intervir nas necessidades de saúde, assumindo um papel fundamental na consolidação da educação em saúde no âmbito da APS, favorecendo a troca e a participação dos sujeitos envolvidos, considerando as necessidades de saúde do território de atuação, valorizando e aproximando os saberes populares e a prática dos princípios do SUS, considerando as singularidades dos sujeitos, organizando a demanda e otimizando os recursos da saúde.

 

O Coordenador da Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno, reforça que “a Atenção Primária à Saúde (APS), enquanto estratégia de organização da Rede de Atenção à Saúde do Distrito Federal, de forma contínua e sistematizada, está apta a responder de forma resolutiva a maior parte das necessidades de saúde do território, integrando ações preventivas e curativas, assim como a atenção a indivíduos e comunidade”.

Ainda segundo o gestor do APS, “dessa forma, constitui-se, portanto, em local estruturante e oportuno para propiciar um conjunto de ações de promoção da saúde, prevenção de agravos, diagnóstico, tratamento e reabilitação”.