20/05/2022 às 18h15 - Atualizado em 20/05/2022 às 18h16

DF registra redução de infestação pelo Aedes aegypti

Expectativa é de queda do número de casos de dengue; Lago Norte é exceção

Humberto Leite, da Agência Saúde DF | Edição: Margareth Lourenço

Os dados do Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti (LIRAa) mostram melhora no cenário para o Distrito Federal. O estudo realizado pela Subsecretaria de Vigilância à Saúde tem como resultado o patamar "satisfatório" atingido quando o percentual de imóveis com presença de larvas do mosquito é inferior a 1%. O índice registrado foi de 0,8%. Foram visitados 26.125 imóveis, de 25 a 29 de abril. Em janeiro, o indicador apresentou o cenário de "alerta", com 1,1%.

O subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero, afirma que a melhora no quadro geral é resultado do trabalho intensificado das equipes que atuam diariamente no combate ao mosquito. Com isso, existe a estimativa de queda do número de casos de dengue. "O levantamento demonstra que a próxima infestação de mosquitos não será suficiente para sustentar a transmissão", explica. Como os dados foram coletados antes do início do período do frio, a infestação deve estar menor agora. "Essa onda de frio vai colaborar no processo de redução dos mosquitos adultos", acrescenta Divino Valero.


Índice de Infestação Predial no DF. Em verde, satisfatório. Em amarelo, alerta. Em vermelho, risco.

Porém, nem todas as regiões do DF tiveram resultado satisfatório. O Lago Norte é a única Região Administrativa (RA) em estado de "risco", onde o índice de infestação chegou a 4,33. Outras nove RAs estão em "alerta": Ceilândia (1,01), Scia (1,12), Planaltina (1,21), Varjão (1,40), Sobradinho (1,41), Plano Piloto (1,45), Núcleo Bandeirante (1,65), Lago Sul (1,69) e Itapoã (2,08).

"Vamos intensificar mais ainda as ações nessas Regiões Administrativas, principalmente no Lago Norte", indica o subsecretário .O levantamento também apontou que as larvas do Aedes aegypti são encontradas principalmente em depósitos móveis, como vasos, fracos com água, pratos, recipiente de degelo de refrigeradores, bebedouros, pequenas fontes ornamentais etc.

Clique aqui para acessar o LIRAa


Ação de combate a dengue no DF. Foto: Sandro Araújo - Agência Saúde DF

Confira a lista completa do Índice de Infestação Predial por Região Administrativa:

Águas Claras: 0,0 (Satisfatório)
Sudoeste/Octogonal: 0,0 (Satisfatório)
Cruzeiro: 0,0 (Satisfatório)
Sia: 0,0 (Satisfatório)
Arniqueira: 0,0 (Satisfatório)
Samambaia: 0,14 (Satisfatório)
Riacho Fundo: 0,22 (Satisfatório)
Taguatinga: 0,27 (Satisfatório)
Jardim Botânico: 0,37 (Satisfatório)
Santa Maria: 0,37 (Satisfatório)
Paranoá: 0,39 (Satisfatório)
Candangolândia: 0,42 (Satisfatório)
Brazlândia: 0,44 (Satisfatório)
Vicente Pires: 0,44 (Satisfatório)
Guará: 0,46 (Satisfatório)
Recanto das Emas: 0,48 (Satisfatório)
Sol Nascente/Pôr do Sol: 0,54 (Satisfatório)
Gama: 0,57 (Satisfatório)
Sobradinho II: 0,66 (Satisfatório)
Riacho Fundo II: 0,66 (Satisfatório)
Fercal: 0,77 (Satisfatório)
Park Way: 0,83 (Satisfatório)
São Sebastião: 0,83 (Satisfatório)
Ceilândia: 1,01 (Alerta)
Scia: 1,12 (Alerta)
Planaltina: 1,21 (Alerta)
Varjão: 1,40 (Alerta)
Sobradinho: 1,41 (Alerta)
Plano Piloto: 1,45 (Alerta)
Núcleo Bandeirante: 1,65 (Alerta)
Lago Sul: 1,69 (Alerta)
Itapoã: 2,08 (Alerta)
Lago Norte: 4,33 (Risco)

Fonte: Informativo Entomológico - Levantamento Rápido de Índices para o Aedes aegypti no Distrito Federal