12/04/2022 às 18h43 - Atualizado em 12/04/2022 às 18h43

Testes com novo “fumacê” vão comparar eficácia do aparelho

Saúde avalia equipamento que lança inseticida a maior altura, distância e velocidade

WILLIAN MATOS, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: MARGARETH LOURENÇO | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

 

A Secretaria de Saúde realizou mais testes, nesta terça-feira (12), com novo equipamento que aplica o inseticida de ultrabaixo volume (UBV) contra o Aedes aegypti, popularmente chamado de “fumacê”. O aparelho, instalado em um trator, disparou o produto nas ruas da Estância Mestre D’Armas I, em Planaltina, nas primeiras horas da manhã.

 

A ação de hoje comparou a performance do novo modelo com o que vinha sendo usado. Uma área de 25 hectares, com cerca de 500 imóveis, pode ser coberta em 45 minutos. Os agentes da vigilância ambiental, com uso de equipamentos individuais, precisam de três dias para fazer aplicação direta em área semelhante. Outra forma de aplicação do inseticida nas regiões do Distrito Federal é com o uso de viaturas da Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS) equipadas com bombas de disseminação.

 

O diretor de Vigilância Ambiental, Jadir Filho, explica que o novo modelo é capaz de disparar o inseticida a uma distância de 50 metros, quase o dobro do equipamento que lança o produto com apoio das viaturas. “Notamos um alcance muito maior”, assegura.

 

 

Quanto à ação larvicida do “fumacê’ com o novo equipamento, isto é, a capacidade de combater a larva do Aedes, o Laboratório de Entomologia da Diretoria de Vigilância Ambiental em Saúde (Dival) analisará mosquitos coletados após a aplicação do produto. Também será observado o tamanho das gotículas lançadas no ar. As avaliações de desenvolvimento ocorrem em parceria com o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

 

O “fumacê”, no entanto, não resolve o problema sozinho. A população precisa manter portas e janelas abertas quando o carro aplicador estiver passando na rua. É necessário ainda evitar o acúmulo de água parada e permitir a entrada dos agentes da vigilância sanitária quando a equipe vistoriar o imóvel. O produto lançado pelo equipamento combate apenas o Aedes e não faz mal para humanos e nem animais domésticos.