01/07/2022 às 20h18 - Atualizado em 26/07/2022 às 15h11

Três novas bases do Samu inauguradas nesta sexta-feira (1º)

Pontos em Águas Claras, Taguatinga e Samambaia tem capacidade de cobrir um território de até 450 mil pessoas

Jade Abreu, da Agência Saúde-DF

Três novas bases descentralizadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF) foram inauguradas nesta sexta-feira (1º). Os novos pontos de apoio ficam em Águas Claras, Taguatinga e Samambaia, cada um com capacidade de cobrir um território de até 450 mil pessoas.

 

Bases têm o objetivo de viabilizar a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo de resposta possível. Foto: Sandro Araújo-Agência Saúde-DF 

 

As bases têm o objetivo de viabilizar a chegada das equipes de atendimento móvel até as vítimas no menor tempo de resposta possível. O Distrito Federal conta com 23 locais como esse. "Essa base é importantíssima para a população e para os servidores da secretaria, porque ela presta assistência a uma das regiões mais populosas do DF em um serviço que o atendimento rápido faz toda a diferença.", afirma a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.

Para o diretor-geral do Complexo Regulador em Saúde do Distrito Federal, Marcus Antônio Costa, as bases vão auxiliar que o atendimento chegue mais rápido em um caso de acidente. "É o Samu se aproximando ainda mais da população, contribuindo com o socorro em instantes."


 

Base modular tem a capacidade de acolher duas viaturas (ou uma viatura e duas motos), devidamente cobertas, com área de desinfecção, higienização e escoamento. Foto: Tony Winston-Agência Saúde-DF


O diretor do Samu, Victor Queiroz, destaca a importância de intensificar o desenvolvimento de bases descentralizadas para atendimento pré-hospitalares. "Há cerca de 15 anos que começamos com o Samu, mas os territórios já estavam ocupados. Então há uma dificuldade de encontrar locais que sejam estratégicos e disponíveis para pontos de apoio. Essas três pontos estão muito bem localizados nessas regiões administrativas", explica.

Cada base modular tem a capacidade de acolher duas viaturas (ou uma viatura e duas motos), devidamente cobertas, com área de desinfecção, higienização e escoamento, além de instalações para acomodar suas respectivas equipes totalizando até seis servidores com sala de descanso, local para preparo das equipes antes e depois dos atendimentos.

"A Região de Saúde Sudoeste é a maior em quantidade de equipamentos públicos de saúde e que tem mais de um milhão de habitantes", explica Shirlene Almeida, a superintendente-substituta da região - responsável por Águas Claras, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires. No território, há dois hospitais regionais, três Unidades de Pronto-Atendimento, 34 Unidades Básicas de Saúde, 5 Centros de Atenção Psicossocial e 3 policlínicas.

Secretária Lucilene Florêncio destaca que a base presta assistência a uma das regiões de Saúde mais populosas do DF. Foto:Tony Winston-Agência Saúde-DF

Para a chefe do Núcleo de Atendimento Pré-hospitalar Sudoeste 2, Flávia Granja da Silva, responsável pelas operações na nova base de Samambaia, esses pontos fazem com que os socorros sejam não só mais rápidos, mas também mais abrangentes.

"Samambaia é muito grande. Se todos os profissionais estiverem concentrados em um único ponto, no caso de um atendimento em outra extremidade da cidade e com trânsito, o socorro pode demorar a chegar. Por isso, o Samu é muito importante, já que trabalha com minutos preciosos para salvar uma vida", conta.

A enfermeira Laryssa Lopes comemora a inauguração do local. Ela também trabalha no Núcleo Sudoeste 2, e conta que o espaço serve como um ponto de apoio para os servidores. "Quem cobre a rua, pode vir comer alguma coisa e beber uma água, tomar um banho, porque às vezes tá sujo de sangue de outra ocorrência. Isso aqui melhora a nossa qualidade de vida no ambiente de trabalho", justifica.

O núcleo Sudoeste 2 tem cerca de 90 servidores, com 60 técnicos de enfermagem, 4 médicos, 10 enfermeiros e 20 condutores.

Três novas vão aproximara o Samu da população e contribuir com o socorro em instantes. Foto Tony Winston-Agência Saúde-DF