23/04/2022 às 16h00 - Atualizado em 23/04/2022 às 16h03

Campanha promove conscientização sobre a insuficiência adrenal

Doença que afeta recém-nascidos, crianças e adultos pode ter diagnóstico precoce com teste do pezinho

Com informações da Agência Câmara de Notícias

Foto: Roque de Sá - Agência Senado

O prédio do Congresso Nacional fica iluminado na cor azul neste sábado (23) em apoio à campanha de conscientização sobre a insuficiência adrenal. O objetivo é estimular a informação sobre a doença e estimular o diagnóstico precoce.

A patologia é causada pela deficiência total ou parcial dos hormônios produzidos na glândula adrenal. Entre os principais sintomas estão fadiga, fraqueza muscular, naúseas, vômitos, diarreia e hipoglicemia. Há uma preocupação especial com os recém-nascidos, que podem ir à óbito caso não sejam tratados a tempo.

A pediatra Kallianna Gameleira ressalta a importância do diagnóstico precoce. "Uma das principais causas de insuficiência adrenal é a hiperplasia adrenal congênita, doença que faz parte do teste do pezinho", explica.

O teste, realizado preferencialmente na maternidade, antes da alta hospitalar, consiste na coleta de gotas de sangue para identificação de 50 enfermidades. "O tratamento em tempo oportuno previne internações e óbito das crianças com a doença", lembra a médica, que atua como Referência Técnica Distrital de Triagem Neonatal.

As gotas de sangue retiradas do calcanhar do bebê são usadas para processamento do exame
As gotas de sangue retiradas do calcanhar do bebê são usadas para processamento do exame
Foto Breno Esaki - Agência Saúde-DF

Entre os adultos, a insuficiência adrenal se caracteriza pelo cansaço fácil, perda de peso, hipotensão, hipoglicemia e vontade de comer alimentos salgados. No caso de mulheres adultas, também se destacam o aumento de pelos no corpo e a diminuição no interesse sexual.

O tratamento também está disponível na rede pública do DF. Os sintomas - que também podem estar relacionados a outras doenças - devem ser investigados por equipe médica. Os pacientes devem buscar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde.