18/04/2022 às 18h12 - Atualizado em 18/04/2022 às 20h05

Comunidade celebra trabalho das enfermeiras obstetras que atuam na Casa de Parto

Abraço simbólico na unidade localizada em São Sebastião reconhece importância do local e atuação dos profissionais

LUIZ FERNANDO CÂNDIDO, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: MARGARETH LOURENÇO | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

“Eu nasci na Casa de Parto”. A frase estampada em um cartaz estava nas mãos de Micael, 8 anos. Ele, os pais e o irmão de três meses estiveram na Casa de Parto para participar do abraço simbólico ao prédio. O evento contou com a participação de profissionais e usuários como forma de prestigiar o serviço prestado e o dia do enfermeiro obstetra, comemorado na terça-feira (12).

 

Assim como Micael, seu irmão de três meses também nasceu ali. “Nós fomos muito bem atendidos. As meninas são ótimas!”, afirma Luana Pereira, mãe de Micael. A moradora de São Sebastião relatou ainda que as duas gestações foram de partos seguros.

 

A gerente da Casa de Parto, Clarice Maciel, apresentou alguns dados durante o evento. Uma avaliação apontou que 99% das usuárias consideraram o serviço como ótimo ou bom. No ano passado, por exemplo, a Casa de Parto não registra nenhuma episiotomia, corte no períneo da mulher.

 

“O trabalho desenvolvido ao longo desses anos com comprometimento de toda a equipe me fez crescer e aprender muito. Temos indicadores de segurança e qualidades invejáveis”, frisa. “Além disso, o nosso índice de parturientes no ano passado daquelas que a gente internou foi de apenas 6% e de bebês apenas 8%”, observa.

 

Já a diretora da Atenção Secundária da Região de Saúde Leste, Jane Franklin, destaca que a Casa de Parto é essencial para a rede da Atenção à Saúde do DF. “Eu queria pedir um viva para todos os usuários que escolhem a Casa de Parto e para a equipe de enfermeiras obstetras que a gente tem aqui na Região Leste”.

 

Na Casa de Parto são acompanhados anualmente cerca de 430 partos, com segurança e respeito, tanto à fisiologia, quanto aos desejos da mulher. Além dos partos, a Casa atende 3 mil mulheres durante o ano para tratamentos diversos.

 

Gabrielle Medeiros, gerente de Enfermagem, Obstetrícia e Neononatal, da Dienf, lembrou que algumas profissionais foram deslocadas para atuar na linha de frente da covid-19 e espera o retorno deles para reforço na assistência.

 

A gestora parabenizou a categoria: “Eu desejo a todas as enfermeiras obstetras uma excelente comemoração e que nós possamos fazer a diferença na vida de mulheres e de crianças”, disse.

 

Varanda

 

Inaugurada há 15 dias, a varanda ganhou pinturas na parede feitas por um artista e um jardim vertical organizado por algumas servidoras. É um local com a finalidade de ser agradável para a mulher aproveitar e sair um pouco do ambiente fechado durante o trabalho de parto. Respirar ar puro, ver o céu e caminhar um pouco, o que ajuda no trabalho de parto.