02/06/2022 às 07h24 - Atualizado em 02/06/2022 às 07h30

Quem tem 50 anos pode tomar segunda dose de reforço a partir desta sexta-feira, 03

Trabalhadores da área da saúde também foram convocados; adesão à campanha contribui para baixo índice de internações e de óbitos

Humberto Leite, da Agência Saúde-DF | Edição: Margareth Lourenço

A população a partir de 50 anos vai poder tomar a segunda dose de reforço (quarta dose) da vacinação contra a covid-19 a partir desta sexta-feira (3). O anúncio foi feito nesta quarta-feira (1º) pelo governador Ibaneis Rocha. Trabalhadores da área de saúde, tanto da rede pública quanto privada, também receberão a 4ª dose. A Secretaria de Saúde utilizará as vacinas disponíveis no momento: Jansen e Astrazeneca. Mais de 50 locais vão aplicar a vacinação na sexta-feira e ao longo das próximas semanas, incluindo o Drive Thru instalado na 612 Sul (com funcionamento até às 22 horas) e o ponto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto (que funciona das 7h às 20 horas).


Drive Thru na UBS 1 da Asa Sul, na 612, aplicará segunda dose de reforço para pessoas com mais de 50 anos e profissionais de saúde. Foto: Tony Winston

O coordenador da Atenção Primária da Secretaria de Saúde, Fernando Erick Damasceno, lembra que a segunda dose de reforço é fundamental para garantir a proteção contra a covid-19. "A adesão às fases anteriores da campanha ajudam a manter um baixo índice de internações e de óbitos, porém é preciso que todos tomem as doses recomendadas de vacinação", afirmou.

A inclusão dos profissionais de saúde na campanha também é fundamental para reduzir as ausências causadas pela doença. "São pessoas que estão mais expostas, que estão atendendo casos suspeitos e confirmados", explica o médico.

A 4ª dose começou a ser aplicada nos idosos, a partir de 80 anos, em abril e as faixas etárias foram sendo reduzidas, estando agora a partir de 50 anos. Na segunda-feira (30), a Pasta convocou os adolescentes de 12 a 17 anos para receberem a primeira dose de reforço, após concluírem o ciclo vacinal (primeira e segunda dose) a pelo menos quatro meses.