29/04/2024 às 18h55

Saúde atua com Ministério Público do Trabalho para capacitar hospitais privados sobre notificações de doenças e agravos

Audiência pública orientou profissionais sobre a necessidade da correta identificação acerca das ocorrências relacionadas ao trabalho

Michelle Horovits, da Agência Saúde-DF | Edição: Fabyanne Nabofarzan

A Secretaria de Saúde (SES-DF) marcou presença na audiência pública em alusão ao Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, realizada nesta segunda-feira (29), na Procuradoria Regional do Trabalho da 10ª Região. Além de representantes da rede pública, cerca de 10 hospitais privados também foram convidados para receber orientações sobre a importância das notificações de doenças e agravos relacionados ao trabalho.

Saúde do trabalhador: audiência pública debate importância das notificações de doenças e agravos. Foto: Ualisson Noronha/Agência Saúde-DF

A diretora de Saúde do Trabalhador (Disat), Elaine Faria Morelo, disponibilizou os servidores da área para capacitar os funcionários de hospitais particulares que necessitam de apoio nas notificações.

"O que acontece é que temos um quadro de subnotificações alarmante. O registro deve ser realizado obrigatoriamente por profissionais de todos os serviços de saúde, sejam eles públicos, privados, filantrópicos, civis ou militares, incluindo aqueles que exercem ações de ensino e pesquisa, por meio dos sistemas de informação de saúde oficiais", alerta.

De acordo com a gestora, somente com os dados reais será possível adotar os procedimentos de investigação epidemiológica capazes de minimizar o impacto de uma futura ocorrência e formular políticas públicas permanentes.

A diretora de Saúde do Trabalhador (Disat) disponibilizou os servidores para capacitar os hospitais que precisam de apoio nas notificações. Foto: Ualisson Noronha/Agência Saúde-DF

Já a procuradora do Trabalho, Karol Teixeira de Oliveira, destacou a necessidade do comprometimento dos hospitais com as notificações. "Temos uma grande preocupação com os acidentes que não são revelados, que não estão cobertos e os adoecimentos, que são números muito maiores do que o de acidentes típicos. Os casos não notificados têm consequências significativas na previdência dos trabalhadores e nas famílias afetadas”, disse durante a audiência pública.

Medidas

Para combater a subnotificação de acidentes, os especialistas comentam a necessidade das empresas implementarem políticas claras de relato das ocorrências, além de fornecerem treinamento adequado aos funcionários sobre segurança e como preencher as notificações.

A vigilância em saúde do trabalhador e a intervenção foram abordadas como elementos essenciais para promover um ambiente de trabalho saudável e seguro, assim como o encaminhamento para o tratamento médico e reabilitação, caso seja necessário.

Os especialistas também discutiram as condições de trabalho que afetam a saúde e bem-estar dos trabalhadores, incluindo carga de trabalho excessiva, pressão por resultados e exposição a agentes químicos, físicos ou biológicos.