12/04/2022 às 20h58 - Atualizado em 12/04/2022 às 20h58

Secretaria de Saúde do DF faz ação de combate à dengue com prefeitura de Valparaiso de Goiás

Parceria visa reduzir o número de ocorrências no Entorno do DF e consequente procura por hospitais

JURANA LOPES, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: MARGARETH LOURENÇO | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

 

 

Nesta terça-feira (12), a Subsecretaria de Vigilância à Saúde (SVS), por meio da Diretoria de Vigilância Ambiental (Dival), apoiou uma força-tarefa de combate à dengue realizada no bairro Santa Rita, em Valparaíso de Goiás (GO). A atuação dos dois governos ocorre por meio do Termo de Resolução Conjunta Nº01/2020, que estabelece ações integradas entre o Distrito Federal e o Estado de Goiás no controle das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

 

Após identificar um aumento muito grande no número de casos de dengue e febre chikungunya nos últimos dias, a Secretaria Municipal de Saúde de Valparaíso de Goiás solicitou apoio à Secretaria de Saúde do DF na execução das atividades de combate ao Aedes aegypti. A Dival apoiou a ação com aplicação de UBV pesado (fumacê) em alguns bairros, uma vez que a região não conta com tal equipamento, além de disponibilizar equipe de agentes que fizeram visitas domiciliares.

 

 

“Esse convênio entre o GDF e o governo de Goiás une forças para eliminar o mosquito da dengue e diminuir o número de casos, resultando na menor procura pelos hospitais. O mosquito não lê placas, essa é uma divisão apenas geopolítica. Por isso, é necessário ter a integração entre os dois estados para combater a dengue”, afirmou o subsecretário de Vigilância à Saúde, Divino Valero.

 

Durante a ação, que teve ponto de encontro na Unidade Básica de Saúde Santa Rita, o prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró, destacou que a integração entre o DF e o Entorno é de extrema importância, pois a dengue é um problema em todo o Brasil nesta época do ano.

 

“Temos a responsabilidade de conscientizar a população dos males causados pela dengue. Essa doença é um combate de todos, não só do governo. É preciso impedir que o mosquito nasça e, para isso, tem que fazer a prevenção dentro de casa”, destacou o prefeito. Ele ainda salientou a importância do trabalho integrado. “O DF consegue nos apoiar mais rapidamente do que as equipes vindas de Goiânia”.

 

Na avaliação da superintendente de Vigilância em Saúde de Goiás, Flúvia Amorim, a atuação dos Agentes de Vigilância Ambiental (AVAs) é essencial para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, e a pandemia evidenciou ainda mais isso. Ela lembrou que o número de casos de dengue subiu com a redução de inspeções domiciliares.

 

 

Além disso, a gestora enfatizou que quando todos trabalham junto em prol de uma meta, os resultados são bem melhores. “Fico feliz de ver as prefeituras de Valparaíso de Goiás, do Novo Gama e o governo do Distrito Federal juntos para acabar com a dengue, a zika e a chikungunya”, enfatizou.

 

A cada dez dias ocorrerão reuniões entre o governo de Valparaíso e representantes da Secretaria de Saúde do DF a fim de verificar como está a situação da dengue no município. A Subsecretaria de Vigilância à Saúde solicitou ao Ministério da Saúde testes rápidos para detecção de dengue e chinkungunya. Assim que o DF recebê-los, repassará uma quantidade para o município goiano.

 

De acordo com o secretário municipal de Saúde de Valparaíso de Goiás, Paulo César Moura, somente neste ano o município já registrou 518 casos de dengue, 198 deles confirmados. “É um número muito alto, precisamos reduzir esse quantitativo, pois é uma doença que causa muitas mortes e nos causa preocupação. Vamos continuar com o trabalho em outros bairros, a população também deve se conscientizar”, informou.