07/04/2022 às 22h22 - Atualizado em 07/04/2022 às 22h22

SES participa de evento sobre a Atenção Primária à Saúde

Solenidade homenageia vencedores do Prêmio APS Forte no SUS

WILLIAN MATOS, DA AGÊNCIA SAÚDE-DF | EDIÇÃO: MARGARETH LOURENÇO | REVISÃO: JULIANA SAMPAIO

Solenidade homenageia vencedores do Prêmio APS Forte no SUS. Foto: Tony Winston – Agência Saúde DF

 

 

Ocorreu na tarde desta quinta-feira (7), no auditório da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), a entrega do Prêmio APS Forte no SUS 2021. A premiação é concedida pelo Ministério da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). A solenidade marcou ainda o Dia Mundial da Saúde. O secretário da Pasta, Manoel Pafiadache, prestigiou o evento.

 

O Prêmio APS Forte no SUS visa premiar trabalhos voltados à Atenção Primária à Saúde desenvolvidos por profissionais de todo o país que atuam no segmento. Neste sentido, o general Pafiadache exaltou as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do Distrito Federal e disse que 80% dos problemas dos pacientes são resolvidos nesses locais.

 

 

“Somente vamos retirar dos nossos hospitais de alta complexidade a tensão se nos dedicarmos à atenção primária”, disse o secretário. “Não se pode colocar um neurocirurgião na porta para atender uma pessoa que foi classificada com a pulseira verde [quando o paciente não corre risco de morte e pode ser atendido de maneira não prioritária]”, prosseguiu.

 

Pafiadache ainda comentou a importância que deve ser dada à saúde mental no período pós-pandemia de covid-19. “Nós gestores de saúde temos que ter uma preocupação muito grande com isso para amenizar esse grande problema”, destacou.

 

Presente no evento, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, exaltou o Sistema Único de Saúde (SUS) e destacou a importância que a atenção primária ganhou, deixando de ser “apenas um departamento da Secretaria de Atenção à Saúde”, relembrou.

 

Vencedores

 

O Prêmio APS Forte no SUS chegou à sua terceira edição em 2021. O tema foi Integralidade no Cuidado. Essa edição foi dividida em quatro eixos: Organização dos serviços de APS para o atendimento integral; Integralidade e equidade; Atenção integral nos ciclos de vida; e Promoção da saúde.

 

Os vencedores dos respectivos eixos foram: Programa Saúde no Campo: ampliação do acesso à saúde em Vitória de Santo Antão (PE), autoria de Alexciane Priscila Silva; Mediadores Interculturais na APS: acesso e acolhimento no SUS, autoria de Jean Junior Thevenin; Cuidado integral à saúde das pessoas idosas residentes em ILPI: estratégias para a atenção primária, de autoria de Sandra Bissoli; e Conviver Mais: atividade física através da intersetorialidade para munícipes de Jaboatão dos Guararapes (PE), autoria de Zelma Pessôa.