Serviço transitório de cuidado em saúde mental

A Unidade de Acolhimento (UA) oferece cuidados contínuos de saúde, com funcionamento de 24 horas e em ambiente residencial. 

A Unidade de Acolhimento (UA) oferece cuidados contínuos de saúde, com funcionamento de 24 horas e em ambiente residencial. Tem como objetivo oferecer acolhimento voluntário e cuidados contínuos para pessoas com necessidades decorrentes de uso de álcool e outras drogas, de ambos os sexos, que sejam acompanhadas nos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), em situação de vulnerabilidade social e/ou familiar e que demandem acompanhamento terapêutico e protetivo de caráter transitório articulação intersetorial relacionada à garantia de direitos à moradia, educação, trabalho e convivência familiar/social. O período de permanência pode ser de até seis meses, de acordo com o Projeto Terapêutico Singular que está sendo desenvolvido e discutido com o CAPS de referência. 

A Unidade de Acolhimento é destinada a pessoas acima de 16 anos, que apresentem demandas decorrentes do uso de substâncias psicoativas.

Documentos Pessoais: 

  • Documento oficial de identificação com foto;
  • Cartão Nacional do SUS (Cartão SUS);
  • Comprovante de residência (recomendação, não obrigatório);

Observação: Para pessoas em situação de rua esses documentos não são exigidos.

Forma de acesso:

O acesso à Unidade de Acolhimento será definido exclusivamente pela equipe do CAPS de referência que será responsável pela elaboração do Projeto Terapêutico Singular.

Para visualizar os locais e telefones dos CAPS do DF, acesse: Lista CAPS DF

Horário de atendimento:

CAPS I, CAPS II, CAPS AD II e CAPS i: segunda à sexta, de 7h às 18h

CAPS III e CAPS AD III: 24 horas

As Casas de Passagem do Instituto de Saúde Mental (ISM) funcionam como Serviços Residenciais de cuidado em saúde mental para pessoas portadoras de transtornos mentais graves e persistentes. 

As Casas de Passagem do Instituto de Saúde Mental (ISM) funcionam como Serviços Residenciais de cuidado em saúde mental para pessoas portadoras de transtornos mentais graves e persistentes. São casas localizadas no espaço urbano, constituídas para responder às necessidades de moradia de pessoas com intenso sofrimento psíquico, egressos de internação psiquiátrica de longa permanência e de internação em Hospital de Custódia, em conformidade com decisão judicial, por falta de alternativas que viabilizem sua reinserção no espaço comunitário, como vínculos familiares inexistentes ou fragilizados. Cada casa possui número fixo de vagas, sendo uma masculina e uma feminina.

As pessoas inseridas nas Casas de Passagem são referenciadas ao Centro de Atenção Psicossocial de referência do território, no caso, o CAPS II Riacho Fundo, onde os residentes são assistidos e acompanhados através de Projeto Terapêutico Singular.

As Casas de Passagem acolhem pessoas maiores de 18 anos, egressos de internação psiquiátrica de longa permanência e de internação em Hospital de Custódia. A pessoa deve ter passado dois anos ou mais ininterruptos internados nestes hospitais, sem referência ou perspectiva quanto à possibilidade de ser cuidado por familiares e que não tenha condições de autonomia para realizar seu autocuidado.

O acesso ao serviço ocorre em cumprimento de determinação judicial ou encaminhado por um serviço da Rede de Saúde, sendo a disponibilidade definidas pela gestão da Região de Saúde, conforme capacidade instalada.

Horário de atendimento: 24 horas, ininterruptas, 07 dias da semana.

Endereço: EPNB, km 04, Avenida Sucupira, S/N, Granja do Riacho Fundo, Brasília/DF.