04/05/2022 às 17h12 - Atualizado em 04/05/2022 às 17h23

Conscientizando jovens sobre o tabagismo

Equipe da Saúde conscientiza estudantes sobre malefícios do tabagismo

Willian Matos, da Agência Saúde DF | Edição: Margareth Lourenço

O narguilé e o cigarro eletrônico são itens cada vez mais conhecidos pelos jovens. Em 2021, 50,6% dos adolescentes de 13 a 17 anos do Distrito Federal disseram já ter fumado narguilé pelo menos uma vez. Preocupados com o uso crescente desses dispositivos entre os adolescentes, a Unidade Básica de Saúde (UBS) 1 do Cruzeiro realizou na quarta-feira (4) ação de conscientização sobre o tabagismo, no Centro de Ensino Fundamental Athos Bulcão (Cefab), no Cruzeiro.

O evento ocorreu no âmbito do Programa Saúde na Escola (PSE) e também faz alusão ao Dia Mundial sem Tabaco, lembrado no dia 31 deste mês. Os profissionais da UBS 1 do Cruzeiro prepararam dinâmicas e repassaram orientações sobre cigarro eletrônico, narguilé e fumo em geral para os cerca de 320 alunos de 11 a 17 anos do Cefab.


Anna Heliza Giomo, servidora da Secretaria de Saúde, alertou os adolescentes sobre os perigos do tabagismo. Foto: Sandro Araújo - Agência Saúde DF

A coordenadora de tabagismo da UBS, Anna Heliza Giomo, conta que a indústria do tabaco tem conseguido seduzir menores de idade. “A propaganda divulga que cigarro eletrônico não faz mal ou que não contém nicotina, e isso é uma falácia. Na verdade, há uma taxa de nicotina e alguns dispositivos podem ser 10 vezes mais tóxicos do que um cigarro convencional”, explica.

A farmacêutica afirma ainda que o contato com o tabaco é perigoso não só para o pulmão, mas também para o cérebro. “Na adolescência, o cérebro ainda não está totalmente formado e os jovens ficam mais vulneráveis quando há o primeiro contato com o tabaco, tendo mais chances de se tornarem dependentes. É necessário que tanto os pais e responsáveis quanto as escolas trabalhem sempre o tema, para que essas crianças fiquem distante do cigarro ou compreendam o quanto o fumo faz mal.”

Mattheo de Castro, do 8º ano, é aluno do Cefab. O jovem conta que costuma ver com frequência outros adolescentes fumando. “Conheço um rapaz que fuma, e quem dá cigarro para ele é o próprio pai”, diz. “As pessoas têm que saber os malefícios do cigarro. Hoje em dia é muito comum você ver uma criança fumando um cigarro eletrônico ou até cigarro normal, mesmo“, complementa.


A assistente social do Programa de Controle do Tabagismo da SES, Rosângela Santa Rita, destaca as ações de prevenção à iniciação no tabagismo. Foto: Sandro Araújo - Agência Saúde DF

A assistente social do Programa de Controle do Tabagismo da SES, Rosângela Santa Rita, destaca que cada vez mais as ações de prevenção à iniciação no tabagismo entrem nos projetos político-pedagógicos das escolas e não sejam apenas eventos pontuais. Estamos cada vez mais juntos da Secretaria de Educação para que essa política se fortaleça”, conta.

Ainda durante o evento no Cefab, no período da tarde, o rapper Yann MC, 17 anos, conversou com a garotada sobre o tema. O jovem, que é de Valparaíso de Goiás-GO, preparou rimas para o evento.

Ei, menor, dá um time
Essa ilusão é só desgaste
Um trago pra relaxar
Pode sua saúde custar

Um fato pra relatar:
Sua vida você vai mudar!
Talvez um câncer pulmonar
E um gasto que nem dá pra contar

Comprometa-se a não fumar
Antes que não tenha mais volta
Eu vim aqui pra te falar
Isso não vale sua história

Um simples tabaco hoje
Amanhã talvez você chora
Fora as passagens pra droga
Isso não vale a sua história

Ei, menor, não entre na moda
Não se ilude com essas histórias
Apenas um tabaco hoje
E amanhã já não tem mais volta

Além da atividade no Cefab, a Pasta planeja ações em outras escolas. Na segunda-feira, (10), uma equipe da UBS Radiobras, em Brazlândia, caracterizada com fantasias de tabaco em alusão ao tema, estará no Colégio Irmã Regina. No dia 3 de junho, profissionais da UBS 1 da Candangolândia visitará o Centro de Ensino Médio Júlia Kubitschek, onde um professor de química elaborou um pulmão artificial para mostrar os malefícios do fumo.