06/06/2022 às 10h46 - Atualizado em 06/06/2022 às 17h52

Felicidade triplicada: mulher esperava gêmeos, mas vieram trigêmeos

Parto ocorreu no HRSam e, apesar da surpresa, mamãe e bebês passam bem e vão para casa hoje

Willian Matos, da Agência Saúde-DF | Edição: Margareth Lourenço

Esta segunda-feira (06) promete ser de festa na casa da família Silva, do setor habitacional Água Quente, e dos oito filhos do casal. Depois de um parto inusitado, a família toda vai se reunir pela primeira vez. Hoje é o dia da alta da dona de casa Rosilene da Silva, 40 anos, e dos seus recém-nascidos. Assim mesmo, no plural.

Essa história teve um dos mais recentes capítulos na manhã de 31 de maio, quando Rosilene correu para o Hospital de Samambaia (HRSam) para dar luz a gêmeos. A dona de casa estava, de certa forma, preparada para a ocasião, pois já havia tido uma gestação gemelar há 11 anos. O parto cesárea foi realizado sem intercorrências: Maria Cecília veio ao mundo às 11h03 e Maria Júlia às 11h04. Mas o destino reservava uma surpresa.

Rosilene, na verdade, estava grávida de trigêmeos e só descobriu após o nascimento das meninas. Tanto ela quanto a equipe da maternidade do HRSam foram surpreendidas pelo Rafael, o terceiro dos trigêmeos, nascido às 11h05. “Meu bendito fruto”, diz a mãe, emocionada.


Rosilene e Damião esperavam Maria Cecília e Maria Júlia, quando nasceu, também, Rafael. Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

A mamãe conta que, durante as 37 semanas e cinco dias de gravidez, fez quatro ecografias. Nenhuma delas revelava serem três crianças. “E aí veio de surpresa o Rafael. Ele estava escondido”, brinca Rosilene. “Ainda não caiu a ficha, acho que vai demorar um pouquinho.” Maria Cecília nasceu com 46 centímetros e 2,99 quilos; Maria Júlia veio ao mundo com 44 centímetros e 2,47 kg; Rafael tem 44,5 cm e 2,32 kg.

Para o pai dos trigêmeos, o salgadeiro Damião Silva, 39 anos, a emoção parece ter sido ainda maior. Como Rosilene teve que ir rapidamente para o hospital, ele só conseguiu chegar depois. O parto foi tão rápido que não deu tempo de assistir. “Agradeço à equipe da maternidade, que foi muito veloz e fez um atendimento ótimo. Todos cuidaram muito bem da Rosilene e as três crianças nasceram bem e com saúde”, comenta o pai.

Oito herdeiros

Além dos três recém-nascidos, Rosilene e Damião cuidam de outros cinco filhos: Ana Caroline, 20 anos; os gêmeos Marcelo e Camila, de 11; Miguel, de 5; e Gabriel, 2 anos. O casal não nega que é uma tarefa difícil, mas a alegria fala mais alto que a preocupação nos corações dos pais. “Quando a gente teve gêmeos, todo mundo falava: ‘Nossa, vai ter que gastar tudo em dobro’. Mas Deus é tão bom que nos providenciou tudo. Filho dá trabalho, não é um conto de fadas. Mas o amor alimenta a gente. Não falta nada e nunca faltará”, garante a mãe.


Rosilene deu à luz os trigêmeos no dia 31 de maio, no Hospital Regional de Samambaia (HRSam). Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

“Vai ser trabalhoso, sim, mas não devemos colocar as dificuldades em primeiro lugar. A vitória tem de vir acima de tudo”, afirma o pai. Como prova de que as adversidades se superam, Rosilene cita o próprio Rafael. “Ele chegou sem nada, porque não estávamos esperando, mas já tem o que vestir. Aqui no hospital providenciaram um kit e estão preparando itens para quando formos para casa.”

Rosilene e Damião vieram do Piauí e da Paraíba, respectivamente. Se conheceram no Distrito Federal em 2003 e hoje vivem no setor habitacional Água Quente, próximo ao Recanto das Emas. Estão juntos há 17 anos e se casaram há sete. “Vou continuar com ela para sempre”, diz o apaixonado Damião.

Primeiro caso

Foi o primeiro parto de trigêmeos realizado no Hospital de Samambaia. Esses casos geralmente são atendidos pelo Hospital Regional de Taguatinga (HRT). “A médica até falou que se soubesse que seriam três crianças, eu não teria dado à luz aqui. Mas eles nasceram saudáveis, graças a Deus”, comemora Rosilene.


Caso foi o primeiro parto de trigêmeos do HRSam. Foto: Tony Winston/Agência Saúde-DF

De fato o parto pegou a equipe do HRSam desprevenida, mas graças ao preparo dos profissionais, tudo deu certo. “Nós sabíamos que eram gemelares, mas no momento da cesárea a médica encontrou mais um bebê. Eles nasceram bem, adequados com a idade gestacional”, assegura a supervisora da maternidade da unidade, Analise Loiola. “A mãe passa bem e o pai é um cara fantástico”, elogia. “Ele mostra-se presente e pelo cuidado que dedica à esposa e ao trio, ganhou o certificado de Papai Nota 10”, completa a enfermeira obstetra Aline Terra.

Certificados aos papais

O HRSam realiza, desde 2019, o programa “Papai Nota 10”. É um trabalho para incluir mais os pais no parto e no pós-parto, unindo ainda mais a família. Quando a mãe e a criança recebem alta, o pai ganha um certificado por ter atuado de maneira fundamental em todo o processo, como ocorreu com o Damião e os trigêmeos do casal.

“Nós do HRSam tratamos isso como protocolo padrão. A gente incentiva os pais a participarem ativamente no parto e pós-parto. Eles dão banho, trocam fralda”, conta Analise. “É muito importante que o bebê se sinta acolhido também pelo pai e não apenas pela mãe”, encerra.