24/06/2022 às 18h29 - Atualizado em 27/06/2022 às 09h06

Novos equipamentos para cirurgias ortopédicas chegam em três hospitais

Dispositivos vão dar mais precisão e trazer mais celeridade às operações. Calcula-se pelo menos 250 operações, por mês, só em Ceilândia

Jade Abreu, da Agência Saúde

O Distrito Federal recebeu três novos equipamentos para cirurgias ortopédicas, que estarão em uso já na próxima semana. As máquinas, conhecidas como escopia ou arco cirúrgico, permitem maior precisão nas cirurgias ao produzir imagens em tempo real no momento da operação, como um aparelho de Raio-X. 

Os dispositivos já foram entregues e começam a ser instalados na segunda-feira (27) no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Na terça (28), a instalação está agendada no Hospital Regional de Ceilândia (HRC) e na quarta (29), no Hospital Regional de Planaltina. Após a montagem dos equipamentos, os profissionais serão treinados para operar com a tecnologia.  

A secretária de Saúde, Lucilene Florêncio, destaca que o equipamento vai trazer celeridade às operações, diminuindo o tempo de permanência hospitalar. "No Hospital de Ceilândia, vamos ter capacidade de realizar pelo menos 250 cirurgias ortopédicas por mês”, avalia. “Lutamos tanto por essas escopias e estou comemorando como uma grande vitória porque estamos concretizando parte da nossa missão, que é trabalhar para dar uma saúde de qualidade à população", destaca. 

O secretário-adjunto de Assistência à Saúde, Luciano Agrizzi, ressalta que as cirurgias ortopédicas têm alta demanda por parte da população e as máquinas representam os esforços para ofertar mais acesso pelo Sistema Único de Saúde. "Essa é mais uma das ações da Secretaria de Saúde na busca de melhorar a qualidade da assistência e proporcionar aos profissionais um avanço tecnológico", destaca.

O aparelho do Hospital Regional de Taguatinga conta com uma função a mais, ao possibilitar também as cirurgias vasculares. A gerente de assistência cirúrgica do HRT, Aline Catunda, afirma que a expectativa é aumentar nos próximos meses, em até 50%, a quantidade de operações desse tipo feitas no local. "Hoje, fazemos cerca de 80 cirurgias ortopédicas, por mês, na unidade", informa.  

Método de contrapartida
As máquinas foram locadas por meio do método de contrapartida, que é feito a partir do convênio de instituições de ensino superior com a Secretaria de Saúde. Essas instituições utilizam as unidades de saúde de estágio e cada aluno gera um valor hora-aula, revertido para a pasta em forma de doação, serviços e materiais.

Esse modelo permitiu que a secretaria adquirisse, neste ano, kits de perfuradores elétricos para outras cirurgias, já instalados nos hospitais regionais do Gama, de Taguatinga, de Ceilândia, de Sobradinho, do Paranoá e de Planaltina.

Ainda foram adquiridos kits de perfurador pneumático - também para cirurgias ortopédicas - e encaminhados aos hospitais regionais de Ceilândia, do Gama, de Sobradinho e do Paranoá, de Planaltina. 

A aquisição de 50 leitos, nos últimos oitos meses, para o Hospital Cidade do Sol, localizado na Região Administrativa do Sol Nascente, também foi feita por meio desse tipo de convênio. Houve ainda a compra de 11 focos cirúrgicos, equipamento usado para iluminação do paciente durante cirurgia.