06/06/2022 às 20h14 - Atualizado em 10/06/2022 às 11h09

Pafiadache constrói legado baseado em três pilares: insumos, servidores e processos

Médica Lucilene Maria Florêncio de Queiroz assume a gestão da Saúde

Margareth Lourenço, da Agência Saúde-DF

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) informa que o general Manoel Luiz Narvaz Pafiadache deixou o cargo de secretário de Estado de Saúde a pedido nesta segunda-feira (6). Em seu lugar, assume a Pasta a médica Lucilene Maria Florêncio de Queiroz. Ginecologista com mais de 20 anos de experiência em gestão, Lucilene atuou desde a Estratégia de Saúde da Família até a direção de hospitais.

A gestora teve passagens também como secretária-adjunta de Assistência à Saúde e de superintendente de saúde das regiões Sudoeste (Taguatinga, Samambaia, Recanto das Emas, Águas Claras e Vicente Pires) e Oeste (Brazlândia e Ceilândia). Ela estava na função de vice-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (Iges-DF).

A Secretaria de Saúde reconhece e agradece a dedicação e o empenho do general Pafiadache à frente do cargo há quase 10 meses. Com formação em administração hospitalar, antes de assumir a Pasta, ocupava a superintendência-executiva do Instituto de Cardiologia do DF (ICDF) e, entre outras funções, foi diretor administrativo do Instituto Hospital de Base do DF.  


Manoel Pafiadache e Lucilene Florêncio. Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

Empenhado em melhorar a gestão da saúde no DF, o general definiu três pilares para nortear sua missão à frente da secretaria: insumos, servidores e processos. E não fez pouco. Uma das suas primeiras medidas foi reabastecer a rede de insumos e medicamentos da rede, com aquisições que somaram R$ 100 milhões.

Em um momento que a vacinação avançava, mas muitas questões precisavam ser resolvidas diariamente e de forma rápida para melhor atender à população, Pafiadache instalou o Gabinete de Crise, quando reunia diariamente os principais gestores em busca de soluções que não esbarrassem em processos burocráticos e morosos. Esses encontros também contribuíram para integração e aproximação entre as diversas áreas da Pasta.

Pautado pela transparência, manteve conversas semanais com os meios de comunicação, ao instituir as coletivas. Chegaram a ser duas por semana e ainda hoje se mantém, mas de 15 em 15 dias, com o arrefecimento da pandemia.

À frente do combate à pandemia no DF, divulgou exaustivamente a importância da vacinação e lançou iniciativas extramuros, com a chegada da vacina onde as pessoas estão. São exemplos o posto de vacinação na Rodoviária do Plano Piloto, e no aeroporto, em parceria com o Sesc e a Secretaria de Turismo. Mais recentemente, atuando em conjunto com a Secretaria de Educação, levou a vacinação até as escolas, beneficiando as comunidades com imunização aos sábados e perto de casa.

Ampliou e manteve a ampla testagem por todo o Distrito Federal, inclusive em parceria com farmácias. A medida vem contribuindo para identificação e isolamento dos casos positivos. Na esteira de enfrentamento à covid-19, conquistou a contratação de 100 leitos do hospital da PM, que podem ser utilizados a qualquer momento como leitos de retaguarda.

Preocupado sempre em “arrumar a Casa”, organizou os fluxos de pagamento pela instrução normativa que regulamenta que sejam efetuados de acordo com a ordem cronológica. Na mesma linha, conseguiu, depois de anos seguidos de contratos emergenciais, publicar os editais para contratação regulamentar de empresas especializadas em serviços de limpeza e em manutenção predial.

Ainda na sua gestão ampliou o número de servidores, tanto para reforçarem tarefas administrativas quanto a assistência à população. De setembro para cá, 630 servidores efetivos tomaram posse. No mesmo período, 1.403 servidores temporários tomaram posse.

Recentemente obteve, por meio de parceria com instituições de ensino superior, a aquisição de 32 perfuradores, que estão contribuindo para a retomada das cirurgias eletivas, suspensas durante a pandemia. Ainda instituiu grupo de trabalho para revisão do contrato de gestão com o Iges e deu início às tratativas com o Hospital da Criança para a realização de cirurgias cardíacas de pequeno e médio porte nessa unidade hospitalar. A alternativa contribui para desafogar os procedimentos no ICDF.

O general deixa encaminhado o processo de reestruturação da Pasta, que se encontra sob análise da Secretaria de Economia. Ele também entrega, pronta para uso, uma nova câmara fria com aproximadamente 50% a mais da capacidade atual de armazenamento de medicamentos que necessitam de baixas temperaturas.  Instalada no Parque de Apoio da Secretaria de Saúde, o equipamento permitirá a centralização logística das operações para os medicamentos que precisam ser refrigerados, conservados a uma temperatura de 2°C a 8°C, em um só lugar, tornando os processos de armazenagem e distribuição mais simples.