28/06/2022 às 17h48 - Atualizado em 28/06/2022 às 17h52

Seminário de Qualificação do Ministério da Saúde reúne profissionais da SES

Evento monitora e avalia indicadores da Atenção Primária no país

Camila Holanda, da Agência Saúde-DF

Trabalhadores e gestores da Atenção Primária à Saúde (APS) do Distrito Federal participaram do Seminário de Qualificação do Desempenho da APS, promovido pelo Ministério da Saúde, nesta terça-feira (28). O evento, que é realizado em todas as unidades da federação, tem o objetivo de monitorar e avaliar os indicadores das unidades básicas de saúde (UBSs). Ao todo, 216 servidores da SES compareceram.

Todas as regiões de saúde do DF registram melhoras nos indicadores definidos pelo Programa Previne Brasil, do governo federal. Esses índices monitoram desde os cuidados com as gestantes e os diabéticos até o cadastramento de pessoas pelas equipes de Estratégia Saúde da Família. “Com a melhoria da qualidade do serviço de saúde, cada UBS contribui para o desenvolvimento da sua área de atuação”, destaca o coordenador da Atenção Primária (Coaps), Fernando Erick Damasceno.

O DF possui hoje 1,7 milhão de pessoas cadastradas pelas equipes. “Esse é um número que cresce em quantidade, mas, acima de tudo, com qualidade, com cuidado, com atenção. E o avanço nos registros da população também garante repasses do Ministério”, explica a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio.


Lucilene Florêncio destaca o papel dos servidores nos avanços da Atenção Primária. Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF
 

Para a secretária, atingir as metas de todos os indicadores reflete na melhora da assistência. “Trabalhamos para cumprir esses parâmetros, entregando 10 novas UBSs e ampliando a força de trabalho. Contratamos temporariamente 500 agentes comunitários de saúde, 500 agentes de vigilância ambiental e 150 enfermeiros de família e comunidade. E vamos publicar, em breve, edital para contratação de 30 médicos”, pontua Lucilene Florêncio.

Afonso Mendes é gerente de serviços da Atenção Primária da UBS 3 e 5 do Guará e considera fundamental esse momento de troca entre o Ministério, a secretaria, e todos os profissionais envolvidos. “Quando participamos de um evento como esse, buscamos soluções viáveis para o nosso dia a dia. E somos ouvidos, porque é na ponta que encontramos os maiores desafios”, afirma o gestor.