Informes Epidemiológicos – Caxumba

Situação Epidemiológica da Caxumba / Paroditide - 2020/2021

Situação Epidemiológica da Caxumba – 2018/2019

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE CAXUMBA

INFORMATIVO CAXUMBA(16/07/19)

2016

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 11, Novembro 2016
Semana epidemiológica nº 43 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 10, Setembro 2016
Semana epidemiológica nº 38 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 09, Agosto 2016
Semana epidemiológica nº 32 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 08, Agosto 2016
Semana epidemiológica nº 31 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba
Nº 07, Agosto 2016

Semana epidemiológica nº 30 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 06, Agosto 2016

Semana epidemiológica nº 29 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 05, julho 2016

Semana epidemiológica nº 28 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 04, julho 2016

Semana epidemiológica nº 27 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 03, julho 2016

Semana epidemiológica nº 26 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 02, junho 2016

Semana epidemiológica nº 25 de 2016 – Resumo

Informativo Epidemiológico de Caxumba

Nº 01, junho 2016

Semana epidemiológica nº 24 de 2016 – Resumo

2015

Informe Epidemiológico de Caxumba – 2015

Vacina: tríplice viral que previne contra a Caxumba, Rubéola e Sarampo.

A vacina está disponível na rede pública. A atividade protetora da vacina inicia-se em torno de 15 dias após a vacinação. A eficácia da vacina está acima dos 96% 

As contra-indicações incluem gravidez, pacientes com imunossupressão e pessoas alérgicas ao antibiótico neomicina.

Se eu não me lembro de ter tomado a vacina, posso ir ao posto e repetir a dose?

Sim. A melhor medida a fazer nesses casos é conferir a carteirinha de vacinação. Mas se você a perdeu por algum motivo, ou então achou que estava vacinado, mas não consta no registro, o melhor a fazer é se vacinar, ainda que repetidamente.

Surto: Defini-se como surto da doença a ocorrência de dois ou mais casos no mesmo local e com intervalo de tempo de até 35 dias entre eles.

Surtos de Caxumba na era pós-introdução da vacina

Na era pós-vacina, a maioria dos casos de caxumba ocorre em adolescentes, adultos jovens e estudantes universitários. A eficácia da vacina é avaliada comparando-se a taxa de ataque em pessoas vacinadas com não vacinadas. Na ocorrência de surtos em populações com alta cobertura vacinal, pessoas não vacinadas contra caxumba geralmente têm uma taxa de ataque da infecção muito maior do que aquelas corretamente vacinadas (com duas doses da vacina).

Fonte: Ministério da Saúde/ Fiocruz

Material da imagem abaixo para impressão – Caxumba